-->

Em clássico editora tordesilhas f. scott fitzgerald gatsby kindle unlimited livros que viraram filmes o grande gatsby the great gatsby tordesilhas

Resenha: O grande Gatsby - F. Scott Fitzgerald

 

Livro: O Grande Gatsby
Autor: F. Scott Fitzgerald
Editora: Tordesilhas
Páginas288
Nota:⭐⭐⭐


Sinopse

A obra traz como pano de fundo a sociedade americana da década de 1920, época que ficou conhecida como a era do jazz. Ao se mudar para a casa ao lado, Nick Carraway adentra o mundo de extravagância e luxo de Jay Gatsby, um misterioso milionário que, na verdade, busca a atenção de um antigo amor, Daisy Buchanan, de quem se separou na Primeira Guerra Mundial. A edição traz ainda o prefácio à edição americana de 1934, escrita pelo próprio Fitzgerald; um posfácio do escritor americano Alex Gilvarry, autor de Nada além da verdade; uma seleção das cartas que Fitzgerald escreveu a Maxwell Perkins, seu editor à época da publicação de O grande Gatsby; e a cronologia da vida e obra do autor. Um retrato pungente da decadência de uma sociedade materialista e deslumbrada com o poderio do pós-guerra e dos trágicos danos causados por uma obsessão lancinante com o passado.


Minha opinião

Nick Carraway é um jovem que vive na década de 20, também conhecida como década do Jazz. Quando se muda para uma pequena casa descobre que é vizinho de um misterioso Gatsby, conhecido por dar festas luxuosas que são famosas em toda Nova York.

Nick adentra cada vez mais no mundo misterioso de Gatsby, ninguém sabe de onde ele veio e nem como ganhou todo seu dinheiro, mas Nick logo descobre que o misterioso milionário tem um antigo amor, que se chama Daisy e que por acaso Nick a conhece.

Sabendo disso, Gatsby pede a ajuda de Nick para se reaproximar de Daisy, que agora é casada e tem uma filha, mas ele não se importa, quer apenas a sua amada de volta, e diante disso se dá início a uma cadeia de acontecimentos que tem tudo pra terminar em tragédia.

O grande Gastby não é um livro cheio de reviravoltas, se tiver esperando grandes emoções esse livro não é pra você.

F. Scott Fitzgerald nos apresenta uma obra repleta de significado, ele nos faz entrar totalmente de cabeça na história de Nick e Gatsby e sua narrativa nos faz ter muitos questionamentos: o dinheiro pode comprar tudo? Até onde estamos dispostos a ir pela pessoa que amamos?

O livro é extremamente triste, pois conseguimos observar que apesar de muito rico e de estar sempre cercado de gente ainda assim Gatsby é uma alma solitária e possui um vazio enorme no coração.

Você pode adquirir o livro aqui. Gratuito no Kindle Unlimited.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em autor nacional gustavo ávila kindle unlimited leia mais nacional o sorriso da hiena resenha suspense terror

Resenha: O sorriso da hiena - Gustavo Ávila

Livro: O sorriso da hiena
Autor: Gustavo Ávila
Editora: Verus
Páginas266
Nota:⭐⭐⭐


Sinopse

É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem? Uma trama complexa de suspense e jogos psicológicos. Atormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitado psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém a proposta, feita pelo misterioso David, coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. Para saber se é um homem cruel por ter testemunhado o brutal assassinato de seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a sua, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma no desenvolvimento delas. Mas até onde William será capaz de ir para atingir seus objetivos? Em O sorriso da hiena, o leitor ficará fisgado até a última página enquanto acompanha o detetive Artur Veiga nas investigações para desvendar essa série de crimes que está aterrorizando a cidade.


Minha opinião

Um crime brutal com requintes de crueldade e apenas um sobrevivente: David de oito anos.

Após presenciar o assassino brutal de seus pais, David se torna um homem cruel, mas o que não sai da cabeça dele é a seguinte dúvida: será que foi por ter sido testemunha desse crime tão horrível é que ele se tornou uma pessoa má? Para descobrir a resposta, David irá reproduzir o que aconteceu com ele a mais cinco crianças, ou seja, vai escolher cinco famílias e vai matar os pais na frente das crianças.

William é um psicólogo infantil, acostumado a ouvir os problemas dos pequenos, ele se pergunta se a origem da maldade humana pode ser encontrada na infância e nos traumas que podem acontecer nessa fase e acha que encontrando essa resposta pode fazer algo grandioso para a sociedade, mas ele não tem como testar suas teorias. William logo recebe uma proposta de David, que revela que tem em mente um experimento e já deu os primeiros passos, começando os testes e destruindo duas famílias. Ele oferece a William a chance de acompanhar essas crianças e assim poder concluir sua pesquisa, que pode ser um grande passo para o mundo da psicologia.

"É possível justificar o mal quando há intenção de fazer o bem?"

Quando comecei a ler esse livro fui logo com grandes expectativas, porque todo mundo fala bem dele e posso falar que não me arrependi, a escrita do Gustavo é muito boa e instigante, ele sabe como construir bons personagens, um exemplo disso é o Artur, o nosso detetive, ele é uma pessoa bem singular. Como tem síndrome de Asperger, é fascinante acompanhar um personagem com essa condição e ver também como as pessoas reagem a ele.

O livro não tem grandes reviravoltas, mas acredito que a intenção do autor não tenha sido essa, acho que a ideia dele era mostrar até onde o ser humano é capaz de ir para atingir seus objetivos, será que os fins justificam os meios? Será que é correto sacrificar algumas vidas para talvez salvas outras? 

Gustavo Ávila nos coloca diante de um dilema moral muito bem construído. O único ponto que me impediu de dar 5 estrelas para o livro foi o fato de que algumas explicações não tiveram espaço para serem desenvolvidas, mas isso não tira o brilhantismo da história.

Você pode adquirir o livro aqui. Gratuito no Kindle Unlimited.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em anorexia bulimia drama editora novo conceito Garotas de vidro Laurie Halse Anderson livro resenha transtornos alimentares

Resenha: Garotas de vidro - Laurie Halse Anderson

 Livro: Garotas de vidro
Autora: Laurie Halse Anderson
Editora: Novo Conceito
Páginas272
Nota:⭐⭐⭐⭐⭐


Sinopse

Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda.
Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos.


Minha opinião

[ATENÇÃO: ESSE LIVRO CONTÉM GATILHOS SOBRE TRANSTORNOS ALIMENTARES E SUICÍDIO. LEITURA NÃO RECOMENDADA PARA PESSOAS SENSÍVEIS A ESSES ASSUNTOS]

Lia e Cassie são amigas desde quando eram crianças, mas em algum ponto do ensino médio isso mudou e agora Lia e Cassie seguiram caminhos diferentes.

Lia é filha de um renomado escritor e de uma médica bem sucedida, tinha tudo pra ter uma boa vida e ser uma adolescente normal… Lia tem a necessidade de contar as calorias de absolutamente tudo que ingere, porque ela colocou na cabeça que só pode ingerir 500 calorias por dia, em alguns dias nem a isso chega.

"Às vezes ser adulta quer dizer fazer a coisa certa, mesmo que não seja aquilo que você quer fazer."

Quando chegou a "perigolândia" ou seja, 43 quilos, ela foi internada em um tipo de acampamento para pessoas com distúrbios alimentares, quando estivesse fora de perigo ela poderia ir pra casa para tentar tocar a vida de forma normal, mas as coisas ficam ainda piores quando ela descobre que sua ex melhor amiga morreu sozinha em um quarto de hotel sob circunstâncias misteriosas. E o pior: Cassie ligou pra ela 33 vezes antes de morrer. O que será que aconteceu com Cassie?

Comecei a ler esse livro de forma totalmente despretensiosa e me surpreendi muito. Não é uma leitura fácil, no decorrer da leitura podemos ver como Lia não suporta ser ela mesma, em alguns momentos até diz que sente nojo dela mesma, que se acha uma gorda, mesmo quando chega a 45 quilos.

"E esse é o problema. Quando você está viva, que pessoas podem te machucar."

Conforme eu ia lendo, só queria entrar no livro e poder ajudar a Lia. O livro é narrado em primeira pessoa, então fica muito fácil entrar na mente dela e entender tudo que ela está passando, tanto com o seu corpo quanto com os seus pais que não entendem o que ela sente.
Esse livro aborda um tema muito delicado, que é o distúrbio alimentar, mas a autora faz isso de forma totalmente responsável, tornando o livro uma espécie de alerta para quem vive esse problema e também para que possamos reconhecer os alertas e identificar se alguém próximo de nós também convive com esse distúrbio.

Uma das partes que mais me marcou no livro foi quando enfim é revelada as circunstâncias da morte da Cassie, fui totalmente pega de surpresa, jamais imaginei que teria sido daquele jeito.

"Não existe cura mágica, nem como fazer tudo desaparecer para sempre. Existem apenas pequenos passos adiante; um dia mais fácil, uma risada inesperada, um espelho que não importa mais"

Garotas de vidro é um livro pequeno, mas não é de leitura fácil e nem leve, não é cercado de grandes emoções e nem grande acontecimentos, mas prende muito a nossa atenção porque a gente quer saber o que acontece no final e se a Lia vai ficar bem.

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Priscila Biancardi

 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em bruxas Clem Robins Darkside books DarkSide Graphic Novel graphic novel hq jock Matt Hollingsworth scott snyder terror wytches

Resenha: Wytches - Scott Snyder

 

Graphic NovelWytches
Roteiro: Scott Snyder
Arte: Jock
Cores: Matt Hollingsworth
Letras: Clem Robins
Editora: DarkSide Books
Páginas192
Nota:⭐⭐⭐⭐+ 🧡


Sinopse

Esqueça tudo o que você já ouviu falar sobre bruxas; quase todas as informações devem estar erradas, de qualquer forma. Aquilo que você aprendeu na escola ― que, por séculos, centenas de pessoas foram queimadas, torturadas, perseguidas e assassinadas por bruxaria ― é um fato. O que ninguém contou para você é que essas pessoas morreram para proteger uma terrível realidade escondida dos meros mortais: bruxas, bruxas de verdade, existem e estão por aí. Elas são criaturas muito mais perversas e diabólicas do que você poderia pensar ― e, portanto, muito mais assustadoras. Ver uma é coisa rara; sobreviver a elas é mais raro ainda. É por isso que quando a família Rook se muda para Litchfield, uma remota cidadezinha de New Hampshire, tentando escapar de uma experiência horrível ao recomeçar do zero, eles não entendem que algo sinistro vive nas florestas ao redor da cidade. Algo que os observa, esperando apenas por uma oportunidade. Algo muito antigo... e voraz. Você até pode conseguir feitiços e milagres delas, mas, para isso, vai precisar pagar o preço. Pai e filha vão descobrir que recomeçar pode ser bem mais difícil quando há uma conspiração secular que envolve a sua família em curso. Com reviravoltas chocantes e uma arte de arregalar os olhos, capaz de combinar medo e beleza, WYTCHES é uma obra sobre bruxas que deve ser levada a sério. Scott Snyder já provou suas habilidades como roteirista durante seu tempo escrevendo as HQs do Batman, uma das fases do herói mais aclamadas pela crítica e pelo público nos últimos tempos. Para esta série, ele chama o desenhista Jock, que além de também ter trabalhado em Batman, fez artes conceituais para Star Wars ― Os Últimos Jedi e o filme ganhador do Oscar Ex_Machina: Instinto Artificial. Com isso, WYTCHES extrapola a mitologia das bruxas em algo muito mais profundo e amedrontador do que os leitores estão acostumados. Esqueça as escolas de magia, as casas de doces e as maçãs envenenadas; aqui, as bruxas são realmente perigosas e quando você é jurado para elas... bem, tudo que a Caveira pode dizer é que as coisas não terminam muito bem. Com todos os materiais extras presentes na edição original ― rabiscos, esboços, processos de colorização e textos do autor que explicam a origem do conceito de WYTCHES ― essa é uma edição para ninguém botar defeito. Além disso, como os fãs são os únicos e exclusivos donos do coração da Caveirinha, ela chamou Érico Assis para fazer com que essa história chegasse da melhor maneira para o público brasileiro. Agora, só resta uma questão, querido fã... você jura que está preparado para WYTCHES?


Minha opinião

Quem acompanha o nosso instagram e canal viu que essa graphic novel foi separada para a Literatona Halloween e não só foi favoritada por mim como Scott Snyder foi um dos melhores autores que conheci esse ano.

Eu comprei essa graphic novel de forma totalmente despretensiosa e vocês não imaginam a minha surpresa ao lê-la finalmente. Scott Snyder conseguiu criar uma graphic novel com um perfeito equilíbrio: temos uma relação pai-filha de dar inveja, os problemas que uma adolescente encara ao se mudar de escola e carregar com ela os boatos da antiga cidade, temos bruxas aterrorizantes e um plot twist de arrepiar!

E é óbvio que não é tudo mérito do roteirista Scott Snyder. Jock caprichou na arte, Matt Hollingsworth nas cores e Clem Robins nas letras resultando em um trabalho magnífico! O visual das bruxas criado por Jock é bem fora do que estamos acostumados e digno do terror da graphic novel!

A DarkSide fez um ótimo trabalho na impressão também. O papel revista destaca ainda mais as cores escolhidas por Matt. E no final tem mostrando como foi o processo do colorista para dar vida à graphic novel. Achei simplesmente incrível poder ver isso como curiosidade, já que sou apaixonada por Photoshop e suas camadas.

Mas falando um pouco mais sobre o enredo. Nele, conhecemos a família Rooks. Depois de um incidente envolvendo a filha, Sailor Rooks, decidem mudar de ares para recomeçarem, mas de algumas coisas infelizmente não é possível fugir. Charlie, seu pai, faz de tudo para ter uma boa relação com ela e ajudá-la a passar por isso sendo sempre compreensivo e algumas vezes bem divertido.

Até que o passado começa a persegui-los. Ou seria o presente? E as coisas vão ficar bem complicadas, perigosas e sombrias para a família Rooks.

Graphic novel indispensável para quem gosta de terror e histórias com bruxas. Já quero conhecer tudo do Scott Snyder. E mantenho minha opinião sobre DarkSide Graphic Novel ser o melhor selo da editora!

Agora fica aqui uma pergunta para quem já leu. Se você quiser entender também, terá que ler.

"Jura é jura" ou na "bunda e na boca deles"?

Você pode adquirir a HQ aqui.

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em freya livro loki mitologia mitologia nórdica Neil gaiman odin resenha thor

Resenha: Mitologia Nórdica - Neil Gaiman

 Livro: Mitologia Nórdica
Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Páginas288
Nota:⭐⭐⭐


Sinopse

Uma jornada da origem do universo até o fim do mundo.

Quem, além de Neil Gaiman, poderia se tornar cúmplice dos deuses e usar de sua habilidade com as palavras para recontar as histórias dos mitos nórdicos? Fãs e leitores sabem que a mitologia nórdica sempre teve grande influência na obra do autor. Depois de servirem de inspiração para clássicos como Deuses americanos e Sandman, Gaiman agora investiga o universo dos mitos nórdicos. Em Mitologia nórdica, ele vai até a fonte dos mitos para criar sua própria versão, com o inconfundível estilo sagaz e inteligente que permeia toda a sua obra.

Fascinado por essa mitologia desde a infância, o autor compôs uma coletânea de quinze contos que começa com a narração da origem do mundo e mostra a relação conturbada entre deuses, gigantes e anões, indo até o Ragnarök, o assustador cenário do apocalipse que vai levar ao fim no mundo. Às vezes intensos e sombrios, outras vezes divertidos e heroicos, os contos retratam tempos longínquos em que os feitos dos deuses eram contados ao redor da fogueira em noites frias e estreladas.

Mitologia nórdica é o livro perfeito para quem quer descobrir mais sobre a mitologia escandinava e também para aqueles que desejam desvelar novas facetas dessas histórias.

Mitologia nórdica é uma obra de referência, um novo e precioso registro dos pouco conhecidos mitos escandinavos.

Os mitos nórdicos estão em obras que se tornaram bastante populares, como os livros de J. R. R. Tolkien, a série de TV Game of Thrones, nas HQs e filmes da Marvel. E, em abril, estreia a adaptação de Deuses americanos para a TV.

Juntos, os livros de Neil Gaiman lançados pela Intrínseca já venderam mais de 100 mil exemplares.


Minha opinião

Em Mitologia Nórdica temos a visão de Neil Gaiman sobre esse assunto. Confesso que fui com pouquíssimas expectativas pra esse livro, já que quando fui ler Deuses Americanos foi uma experiência não muito boa, mas como gostei muito de Coraline resolvi dar nova chance pro autor e posso dizer que não me arrependi.

O livro é dividido em contos e vou falar sobre os dois que eu mais gostei.

Os tesouros dos deuses

Thor tem uma linda esposa chamada Sif, que é dona de longos e lindos cabelos dourados, que é o que Thor mais gosta na esposa, mas um dia ele acorda e vê que a esposa está carequinha da Silva e logo sabe quem é o culpado: Loki.
Thor mais do que depressão vai atrás do deus da trapaça e fala que se ele não der um jeito de trazer de trazer o cabelo dela de volta vai se arrepender.
Nesse conto nós podemos conhecer a origem de alguns apetrechos que os deuses usam, como o Mjölnir, famoso martelo do Thor.

"Quer sejamos deuses ou mortais: Odin é o pai de todos nós."

O mestre construtor 

Thor saiu em uma missão e sem ele e seu martelo Asgard fica desprotegida, então diante disso os deuses tem a ideia de construir um muro em volta do lugar, mas até mesmo eles iriam demorar anos para construir.
Um estranho escuta essa conversa e se oferece para construir o muro em três estações, mas em troca disso ele quer três coisas: a mão da deusa Freya, o sol e a lua.
Os deuses ficam muito confusos com tudo isso, porém Loko levanta o ponto que é impossível de o muro ser feito e diz que para a proposta ser aceita ele terá não três estações, mas apenas uma e não poderá ter ajuda de ninguém. Freya não fica muito confiante, mas os deuses acabam aceitando
Vendo que o estranho conseguirá levantar o mudo, Loki fará de tudo para que o estranho não consiga levantar o muro e quando eu digo tudo, é tudo mesmo e o ele fará é no mínimo inusitado.

"Havia ressentimento até mesmo justo à maior gratidão, e havia gratidão mesmo no momento em que ele era mais odiado."

Mitologia Nórdica foi uma experiência boa, o livro não é excelente, mas achei que foi uma leitura super válida. Uma coisa que eu gosto na escrita do Gaiman é o humor, durante os contos eu sempre me via rindo, aconteceu o mesmo com Deuses Americanos.

Enfim, o livro valeu a pena ser lido pra tirar a impressão ruim que eu tinha do autor, mas confesso que ainda não consegui amar a escrita dele.

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Priscila Biancardi

 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em clássico do terror conto Edgar Allan Poe Medo Clássico o gato preto poe resenha terror

Resenha: O gato preto - Edgar Allan Poe

Conto: O gato preto
Autor: Edgar Allan Poe
Páginas23
Nota:⭐⭐⭐⭐+ 🧡


Sinopse

O Gato Preto, de Edgar Allan Poe, é um dos seus contos horríficos mais conhecidos. Autor multiexperimental, Edgar Allan Poe é um dos mais relevantes autores norte-americanos do século XIX, e escreveu esta "short-story" - área em que Poe era extremamente hábil – para o provar, criando um ambiente fantasioso de sequência de eventos que levam a um estranho e escabroso crime.


Minha opinião

Priscila e meu namorado sempre me recomendaram conhecer o trabalho do Edgar Allan Poe, mas por algum motivo eu sempre acaba adiando, acho que por medo de ser uma leitura datada e com uma escrita mais complexa. No entanto, eu estava completamente errada.

Edgar Allan Poe conseguiu fazer um conto atemporal e aterrorizante. Ele é narrado em primeira pessoa por um homem que relata seu amor por animais desde a infância e com sorte arranja uma esposa que compartilha desse mesmo amor.

No entanto, conforme a idade vai avançando e seus problemas alcoólicos surgem e com ele vem os ataques de fúria. Seu amor pelos animais se esvai, ele se vê irritado com seu gato e em uma certa noite desconta toda sua ira com crueldade no pobre gato.

Só que ele não sabia a desgraça que se abateria na vida dele após esse ato de crueldade. Nem todo arrependimento do mundo o salvaria do que estava por vir. E bem, pra isso vocês terão que ler o conto para saber o que acontece porque não quero entregar toda a trama aqui, mas já adianto que Poe conseguiu criar uma atmosfera bem angustiante em tão poucas páginas.

O conto foi lido na Literatona Halloween como um clássico do terror e merece todos os elogios recebidos e o título de clássico. Poe foi um dos escritores pioneiros de contos e é conhecido como o criador da ficção policial, até hoje serve de inspiração para muitos autores e certamente ganhou mais uma fã.

Caso queiram ler o conto, já o postamos aqui no blog, acesse aqui.

O conto também está presente no livro Medo Clássico Volume 1 que também já foi resenhado aqui.

Conto indispensável para quem é amante do terror.

Por Amanda Rocha

 


 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários