-->

Em editora arqueiro harlan coben investigação livro livro 5 myron bolitar policial resenha um passo em falso

Resenha: Um passo em falso - Harlan Coben


 Livro: Um passo em falso
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Nota


Sinopse

Ainda jovem, Myron Bolitar contou com a ajuda do treinador Horace Slaughter para começar a jogar basquete. O relacionamento dos dois era como o de pai e filho, mas com o tempo eles perderam contato e Myron abandonou o esporte. Dez anos depois de ver Horace pela última vez, Myron conhece Brenda, filha do antigo amigo e uma bela estrela do basquete. Trabalhando como agente de atletas, ele poderá fechar um contrato valioso com a jogadora se descobrir o paradeiro de Horace, que sumiu repentinamente após agredi-la. Desde então, Brenda começou a receber ameaças por telefone e a ser seguida. Myron não acredita na culpa do amigo e resiste a ser guarda-costas da moça, mas acaba cedendo. Determinada a não fazer papel de donzela indefesa, Brenda provoca uma atração irresistível em Myron, que vive um relacionamento amoroso debilitado. Porém, existe entre eles um abismo de corrupção e mentiras, além de segredos pelos quais muitos arriscariam a vida. Mesmo contra o bom senso, Myron segue investigando o caso. Disposto a conquistar o coração de Brenda, ele está ciente de que um passo em falso pode acabar matando os dois.



Minha opinião

No quinto livro da série Myron Bolitar nos vemos diante do desaparecimento de Horace Slaugther, que além de amigo, também foi muito importante para Myron no começo de sua carreira de atleta. Após Horace desaparecer, sua filha Brenda começa a receber ameaças, mas o curioso é o fato de que antes de Horace desaparecer, Brenda solicitou uma ordem de afastamento contra o pai, alegando que ele a agrediu.

Brenda Slaugther é uma estrela do basquete e quando ela começa a receber ameaças, Myron Bolitar é designado para descobrir quem está por trás disso e aproveita para agenciar também a carreira dela, mas Brenda não vai se deixar passar por donzela em perigo e vai se mostrar mais forte do que aparenta, assim conquistando o coração de Myron.

Os livros da série Myron Bolitar tem uma fórmula bem conhecida de quem acompanha as histórias: temos uma estrela do esporte envolvido em algum problema e Myron aparece para resolver tudo, fórmula essa que eu amo.

Harlan Coben é mestre em escrever história de mistério e criar personagens cativantes, Myron ganhou o posto de meu personagem favorito da vida, ele é canastrão, é leal aos seja amigos e família, ou seja: zero defeitos, além dele também temos personagens secundários que roubam a cena: Win é o melhor amigo de Myron e é pau pra toda obra sempre saindo em socorro do nosso agente. Esperanza é melhor amiga de Myron e também trabalha com ele em sua agência e sempre o ajuda nas investigações fazendo um ótimo trabalho de pesquisa. 
Brenda é uma personagem forte, decidida, independente que nos conquista logo nas primeiras aparições. Mas como nem tudo é perfeito temos Jessica, que é o par romântico de Myron, que por diversos motivos não me cativou.

"Um passo em falso" é um livro muito bom, amarra todas as pontas, quando vai chegando a hora do desfecho não nos permite largar o livro, já que seu desenrolar é frenético, e até o momento foi um dos finais mais bem feitos dos livros da série Myron Bolitar, apesar de ter me deixado um gosto amargo na boca.

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em depois depois stephen king editora suma lançamento later novo livro resenha stephen king

Resenha escrita (Sem spoilers): Depois - Stephen King

  Livro: Depois
Autor: Stephen King
Editora: Suma
Páginas: 192
Nota: 4,5⭐


Sinopse

James Conklin não é uma criança comum: ele vê gente morta. Com que frequência? Jamie não sabe bem; afinal, os mortos em geral se parecem muito com os vivos. Exceto pelo fato de que eles ficam para sempre nas roupas em que morreram, e são incapazes de mentir.

Sua mãe implora para que ele mantenha essa habilidade em segredo, o que não é problema na maior parte do tempo. Pelo menos até Liz Dutton, a companheira de sua mãe e detetive do Departamento de Polícia de Nova York, aparecer na saída da escola e anunciar que precisa de ajuda.

É assim que Jamie embarca em uma corrida para desvendar o último segredo de um falecido terrorista, e começa a jornada mais assustadora de sua vida.


Minha opinião

O novo livro de King é protagonizado por Jamie. Narrado em primeira pessoa, Jamie tem 22 anos e resolve contar sua história desde a infância e como foi ser uma criança que vê e fala com mortos. 

Lógico que podemos pensar em diversas vantagens para isso, mas nem todas as pessoas são boas e nem todas as pessoas morrem de morte natural e tranquila. Isso seria realmente um dom ou uma maldição? 

Em mortes chocantes, King consegue passar para o papel todo o horror da cena de ver um morto estourado para que possamos ter o mesmo choque do menino Jamie. E eu amo a capacidade que o King tem de chocar ao descrever cenas desse teor. Tanto que uma das minhas cenas favoritas dessas é justamente em Revival, que também é do King. Sem contar que o King é ótimo escrevendo sobre crianças e sobrenatural. 

Eu sempre sinto que King coloca um pouco da essência dele em seus livros. Em Depois ele deixa muito claro quanto medo ele tem da doença de Alzheimer, algo que ele já assumiu em um entrevista que traduzi e coloquei aqui no blog. 

Apesar de um livro curto, aprendi diversas coisas com ele, até mesmo sobre o meio literário, já que a mãe do protagonista é agente literária. 

Como o livro vai se passando em diversos momentos da vida de Jamie, King adiciona vários elementos da cultura pop pra nos situar naquela determinada época e eu surtei com a menção de Fringe, já que é uma das minhas séries favoritas. E obviamente não poderia faltar as referências a livros anteriores dele, marca já registrada do autor. 

Jamie é um protagonista muito cativante. Você se diverte com ele, sofre com ele. 

E comentando um pouco sobre o final sem spoilers o King sabe muito bem como nos falar sobre mil detalhes da história fazendo com que a gente acabe desviando de algum sentindo que ele nem tem mais tanta importância, aí do nada, ele vem com a resposta pra isso deixando a gente de boca aberta com a revelação. 

Li algumas opiniões no Skoob falando que acharam o final desnecessariamente chocante

Bem, eu discordo. Primeiro porque dons sobrenaturais não precisam de explicação, segundo que o fato final não dá necessariamente uma explicação, é mais um talvez e terceiro porque estamos falando de Stephen King né? Não esperem escrúpulos. 

Acho que é um ótimo livro para quem quer iniciar a leitura de King e bem mais aterrorizante que Joyland que considero mais como suspense mas que faz parte dessa mesma linha de edições pulp junto com Colorado Kid. 

Ah, mais uma coisa: caso você pretenda ler Drácula que nem eu é importante informar que nesse livro tem spoiler de Drácula. Um bem grande inclusive que me deixou um pouco chateada. "Ain mas esse livro saiu tem séculos, nem é considerado spoiler". Se a pessoa ainda não leu, é spoiler pra ela. É isto. 

E vcs já leram Depois ou vão deixar pra Depois?

Você pode adquirir o livro em pré-venda aqui.

Por Amanda Rocha

 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em drama editora hope emersoon lima gore lançamento livro livro de terror luto o jogo da morte resenha revil selo obscurus suspense terror terror nacional terror psicológico traumas

Resenha: Revil - O jogo da morte de Emersoon Lima

Livro: Revil - O jogo da morte
Autor: Emersoon Lima
Editora: Hope Nota


Sinopse
O que você faria para ter de volta quem você ama? Durante um ritual Guto,Tina e Eric receberam uma proposta tentadora: Trazer de volta do mundo dos mortos os seus pais. Para isso teriam apenas que jogar um jogo. No entanto, quando a primeira missão chega eles percebem que os jogos da morte não são tão simples assim e desistir não é uma opção. Agora é matar ou morrer.


Minha opinião

Em "Revil - o jogo da morte" conhecemos Guto, Tina, Eric e Ivan. O caminho deles se cruza em um lugar nada convencional. Guto está visitando o túmulo de seu pai, enquanto os outros 3 escolheram o local para tentar se comunicar com mortos.
No entanto eles são surpreendidos por um convite do além. E se você pudesse trazer de volta à vida pessoas que ama?
Sem nem pensar duas vezes com uma proposta tão tentadora como essa, eles topam.
Mas pode ser arriscado demais aceitar entrar nesse jogo, afinal de contas, para uma premiação tão alta assim deve ter regras bem duras, certo? E eles nem poderiam imaginar o quão difícil seria participar desse jogo e mais difícil ainda sair dele. 

Bem, como comentei no breve comentário que fiz no story, o autor Emersoon Lima, conseguiu trazer um enredo muito original e único e trazendo muito além do terror psicológico e do gore, temos um toque de suspense e drama no livro que nos faz ficar curiosos e temendo pela vida dos personagens, que por sinal, foram muito bem construídos. Temos aqui também a reflexão da vida real ao pensar sobre o luto e a dificuldade que temos em deixar partir que amamos. 

O final é extremamente condizente, satisfatório e também surpreendente.
Eu já conhecia o trabalho do autor de alguns contos no Kindle Unlimited e fiquei extremamente grata ao receber esse, que é seu primeiro livro, em primeira mão e não porque eu já sou fã do trabalho dele que tô aqui cheia de elogios não. Vocês sabem que eu gosto muito de consumir livros, séries e filmes de terror e posso falar com tranquilidade que o Emersoon não poderia ter desenvolvido uma melhor história para seu primeiro livro.
O livro sairá em breve pela Editora Hope. 

E você? Até aonde iria para trazer de volta quem ama? 

"O jogo começou pra valer - diz Guto - E agora é matar ou morrer"


⚠️ Atenção: O livro pode conter gatilhos para pessoas mais sensíveis

Por Amanda Rocha

 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em clássico dorothy editora autêntica fantasia L. Frank Baum livro livro infantil o mágico de oz resenha resenha literária

Resenha: O mágico de Oz - L. Frank Baum

Livro: O mágico de Oz
Autor: L. Frank Baum
Editora: Autêntica Páginas: 208
Nota


Sinopse

O Mágico de Oz conta a história de Dorothy Gale, uma órfã que vivia com os tios numa fazenda do Kansas, nos Estados Unidos. Um dia, um ciclone arranca do chão a casa onde moravam. Os tios conseguem entrar no porão que usavam como abrigo para tempestades, mas Dorothy e seu cachorro, Totó, se atrasam e ficam na casa, que foi levada durante muito tempo pelos ares até chegar à Terra de Oz.Lá, Glinda, a Bruxa Boa do Norte, explica a Dorothy que ela havia matado a Bruxa Malvada do Leste, pois a casa aterrissou em cima dela. Dorothy agora é, por direito, dona dos sapatos mágicos prateados da bruxa má. Além disso, Glinda lhe dá um beijo na testa, para ela ficar em segurança durante as aventuras que viveria a caminho da Cidade das Esmeraldas, onde vive o poderoso Mágico de Oz, o único que poderia ajudá-la a voltar para o Kansas. Para chegar à Cidade das Esmeraldas, Dorothy tem que seguir por uma estrada de tijolos amarelos. Durante a caminhada, ela encontra o Espantalho, o Homem de Lata e o Leão Covarde. Os três se juntam a Dorothy, pois também querem encontrar Oz e pedir algo para ele: o Espantalho quer um cérebro para pensar como os homens; o Homem de Lata, um coração para amar como os homens, e o Leão Covarde quer coragem para ser o Rei dos Animais. A partir daí, os quatro encaram perigos, vivem histórias fantásticas e aprendem a enfrentar os próprios medos.


Minha opinião

Dorothy vive com seus tios e seu cachorrinho no Kansas, mas um dia um ciclone arranca sua casa do chão e a faz cair bem em cima da Bruxa Má do Leste, então Glinda, a Bruxa Boa explica que como ela matou a Bruxa Má, pode ficar com os poderosos sapatos prateados dela, como a menina estava com os sapatos muito velhos ela aceitou.

A Bruxa Boa também explica para Dorothy que ela e sei cachorrinho Toró estão na Terra de Oz, mas ela não quer ficar lá, quer voltar pro Kansas e encontrar seus tios, e pra isso ela descobre que precisa pedir ajuda ao Grande Oz.

"Você não precisa de um cérebro. Você vem aprendendo uma coisa nova a cada dia. Um bebê tem cérebro, mas ele não sabe muita coisa. A experiência é a única coisa que traz conhecimento, e quanto mais tempo você vive mais experiência você adquire, com certeza."

Então Dorothy segue pela grande estrada de tijolos ele busca do Mágico de Oz, mas no caminho ela vai encontrar vários amigos: O espantalho, que quando chegar na Terra de Oz vai pedir pra ele dar um cérebro. O Leão Covarde, que vai pedir coragem e o Homem de Lata que vai pedir um coração.

Gente, que experiência maravilhosa foi essa leitura, eu não conhecia nada da história, a única coisa que eu sabia era que tinha um Espantalho, um Leão Covarde e um Homem de Lata. 

"Não importa o quanto nosso lar seja feio e triste: nós, pessoas de carne e osso, sempre preferimos viver nele e não em qualquer outro lugar, mesmo que seja muito bonito. Não há lugar como o nosso lar."


Fui totalmente pega de surpresa pela preciosidade que foi essa história e devo dizer que me surpreendeu muito, não esperava aquele plot twist do final (kkkkkk).

Achei a personalidade da Dorothy maravilhosa, quando ela tinha que dar um esporro em alguém ela dava mesmo, não importava quem fosse. Em todas as aventuras que eles se metiam a gente via a preocupação da Dorothy com seus amigos e também de seus amigos com ela.

"Não, minha cabeça é bem vazia – ele respondeu. – Mas já tive cérebro, e também coração; por isso, como já experimentei os dois, prefiro muito mais ter um coração."


O Mágico de Oz é classificado como um livro infantil, mas no decorrer da leitura temos tantas lições e frases impactantes, que posso dizer que é um livro que principalmente adultos devem ler. Foi uma experiência incrível finalmente ter lido esse clássico.

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em coho colleen hoover galera record layla paranormal resenha resenha layla colleen hoover resenha literária romance romance paranormal romance sobrenatural sobrenatural

Resenha escrita (sem spoilers): Layla - Collen Hoover

 

Livro: Layla
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Nota: 4,5

Sinopse
Tradução feita por mim

Quando Leeds conhece Layla, ele está convencido de que passará o resto de sua vida com ela - até que um ataque inesperado deixa Layla lutando por sua vida.  Depois de semanas no hospital, Layla se recupera fisicamente, mas as cicatrizes emocionais e mentais alteraram a mulher por quem Leeds se apaixonou.  A fim de colocar seu relacionamento de volta nos trilhos, Leeds leva Layla para a pousada onde se conheceram.  Assim que eles chegam, o comportamento de Layla dá uma guinada bizarra.  E essa é apenas uma das muitas ocorrências inexplicáveis.

Sentindo-se distante de Layla, Leeds logo encontra consolo em Willow - outro hóspede da pousada com quem ele estabelece uma conexão por meio de suas preocupações comuns.  À medida que sua curiosidade por Willow cresce, sua decisão de ajudá-la a encontrar respostas o coloca em conflito direto com o bem-estar de Layla.  Leeds logo percebe que tem que fazer uma escolha porque não pode ajudar os dois.  Mas se ele fizer a escolha errada, pode ser prejudicial para todos eles.


Minha opinião

Layla é o novo livro da CoHo que virá pela Editora Record. Vi algumas pessoas reclamando em resenhas que o livro foi anunciado como paranormal, mas já ressalto aqui que o classifiquei o como romance paranormal como a Record divulgou mesmo.

Nesse livro, conhecemos nosso protagonista Leeds. O que sabemos no início sobre Leeds e Layla é que eles se conheceram no casamento da irmã da Layla. Leeds tocava na banda contratada pela irmã pra tocar no casamento. Ele chamou a atenção dela por parecer morto por dentro enquanto tocava e ela chamou a atenção dele por ser uma dançarina horrível.
A química foi instantânea. Desde então não se desgrudaram, até que um dia, Leeds no auge da sua felicidade com Layla, resolveu postar uma foto com ela no Instagram, mas ele jamais imaginou que sua ex pudesse ver aquilo, assediasse Layla e que de repente aparecia na sua porta com uma arma disparando em Layla e depois em Leeds. 

A vida deles vira de cabeça pra baixo. Layla tomou um tiro na cabeça, ficou por tempos no hospital se recuperando e depois disso não é mais a mesma Layla livre, espontânea, sorridente e confiante como era. 

Querendo mudar de ares e achando que poderia fazer bem para Layla, ao ver que o local onde eles se conheceram estar à venda, Leeds resolve alugar o local já pensando em o comprar, já que o local significa tanto para eles. 

No entanto, coisas estranhas começam a acontecer. Alguém parece ter entrado na casa, embora tudo esteja trancado por dentro, sendo assim, Leeds resolve instalar câmeras e começa a presenciar eventos sobrenaturais. 

Eu não sei o que tem na escrita da CoHo que por mais louco que a coisa esteja, ela sempre me desperta curiosidade. Foi um livro completamente diferente de tudo que já li e eu adorei, mas é bom ir mente bem aberta porque é realmente fora da casinha. Não só diferente de tudo que a CoHo escreveu mas diferente de tudo que já vi por aí. Pra não dizer que ele não se assemelha em nada a nenhum livro, teve apenas um ponto dele que me lembrou um outro livro de suspense mas que, claro, não vou revelar qual é para não revelar mais da trama. 

Ainda não tem uma data para vir para o Brasil, embora já tenha sido revelada a capa. Então, caso queiram arriscar como eu a ler em inglês, ele está disponível no Kindle Unlimited.

Você pode adquirir o livro em pré-venda aqui.

Por Amanda Rocha

 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em despedaçada distopia farol literário fragmentada reiniciados resenha teri terry trilogia Trilogia Reiniciados

Resenha: Trilogia Reiniciados - Teri Terry

 Livro: Trilogia Reiniciados (Reiniciados, Fragmentada e Despedaçada)
Autora: Teri Terry
Editora: Farol literário
Páginas: 432, 424 e 400
Nota


Sinopse

Reiniciados

As lembranças de Kyla foram apagadas, sua personalidade foi varrida e suas memórias estão perdidas para sempre. Ela foi reiniciada. Kyla pode ter sido uma criminosa e está ganhando uma segunda chance, só que agora ela terá que obedecer as regras. Mas ecos do passado sussurram em sua mente. Alguém está mentindo para ela, e nada é o que parece ser. Em quem Kyla poderá confiar em sua busca pela verdade?


Minha opinião

Kyla acabou de passar pelo procedimento de ser reiniciada, ou seja, todas as suas memórias foram apagadas e agora ela foi adotada por uma família e vai começar uma nova vida. Apenas adolescentes que foram criminosos passam por esse processo, afim de receberem uma nova chance.

Todos os reiniciados são obrigados a usar o Nivo, que é um aparelho que parece um relógio que mede o nível de felicidade, caso o nível de felicidade do Reiniciado fique muito baixo, um chip que foi implantado no processo de reiniciar dá um choque na pessoa e ela desmaia, assim não apresenta risco pra ninguém.

Kyla está tentando se acostumar com sua nova vida, mas às vezes tem sonhos estranhos que não sabe se são apenas sonhos ou memórias de sua antiga vida, se for isso, quer dizer que algo deu errado ao ser reiniciada. O que será que deu errado com Kyla ao ser reiniciada?

Reiniciados é uma trilogia e em cada livro temos uma Kyla diferente, mas que sempre está em busca de saber quem ela é.

O primeiro livro é cheio de ação e tem toda aquela novidade, ficamos ávidos querendo saber se a Kyla está realmente lembrando de tudo e mais curiosos ainda pra saber quem ela realmente é. O livro tem um ritmo muito acelerado, não consegui largar.

Entretanto, o segundo livro me decepcionou um pouco, foi bem arrastado, não acontecia quase nada, ficava voltando em acontecimentos passados toda hora.

No terceiro livro a autora se recupera nos entregando um livro eletrizante, responde todas as perguntas feitas no decorrer da trilogia, não deixa nenhuma ponta solta. Esse foi o meu favorito.

Uma coisa que me agradou muito foi que a autora não forçou um romance, durante os livros a Kyla tem sim um interesse amoroso, mas ao contrário de algumas séries com adolescentes, ela não dá tanto destaque pra isso, esse foi um dos motivos que me fez começar a ler essa trilogia.

No geral é uma trilogia que eu recomendo muito, apesar do segundo livro deixar um pouco a desejar pelo ritmo lento, mas esse fato não estragou a minha experiência, tanto que dei nota 5 para a trilogia como um todo. Essa trilogia tem todos os elementos que amantes de distopia procuram: um governo autoritários, uma protagonista forte que faz de tudo para derrubar o sistema, personagens secundários cativantes que vão ajudar a protagonista a realizar seus objetivos e várias reviravoltas, tiveram algumas revelações que eu não conseguia acreditar e até tinha que ler de novo pra ter certeza que li certo.

Essa trilogia com certeza foi um achado, já que quase não vejo ninguém falar dela.

Você pode adquirir os livros aqui.

Por Priscila Biancardi

 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

1 Comentários

Em editora suma o cemitério o cemitério maldito pet sematary resenha stephen king terror

Resenha escrita: O cemitério - Stephen King

 Livro: O cemitério
Autor: Stephen King
Editora: Suma Páginas: 424
Nota⭐+ 🧡


Sinopse

O livro que inspirou o filme O cemitério maldito. Louis Creed, um jovem médico de Chicago, acredita que encontrou seu lugar em uma pequena cidade do Maine. A boa casa, o trabalho na universidade e a felicidade da esposa e dos filhos lhe trazem a certeza de que fez a melhor escolha. Num dos primeiros passeios pela região, conhecem um cemitério no bosque próximo à sua casa. Ali, gerações de crianças enterraram seus animais de estimação. Mas, para além dos pequenos túmulos, há um outro cemitério. Uma terra maligna que atrai pessoas com promessas sedutoras. Um universo dominado por forças estranhas capazes de tornar real o que sempre pareceu impossível. A princípio, Louis Creed se diverte com as histórias fantasmagóricas do vizinho Crandall. No entanto, quando o gato de sua filha Eillen morre atropelado e, subitamente, retorna à vida, ele percebe que há coisas que nem mesmo a sua ciência pode explicar. Que mistérios esconde o cemitério dos bichos? Terá o homem o direito de interferir no mundo dos mortos? Em busca das respostas, Louis Creed é levado por uma trama sobrenatural em que o limite entre a vida e a morte é inexistente. E, quando descobre a verdade, percebe que ela é muito pior que seus mais terríveis pesadelos. Pior que a própria morte - e infinitamente mais poderosa.


Minha opinião

Louis Creed e sua família acabam de se mudar para Ludlow, em frente a uma rodovia onde passam enormes caminhões, e também o lugar onde muitas crianças perdem seus animais de estimação que acabam sendo vítimas de atropelamento e elas acabam enterrando os animais em um cemitério que elas mesmas fizeram.

Em seu primeiro dia de trabalho como médico de uma escola, Louis se depara com um terrível acidente, um estudante com um grave ferimento na cabeça que acaba morrendo.

Muito impressionado com tudo que aconteceu, Louis acaba sonhando com um lugar além do cemitério de animais onde coisas terríveis podem acontecer com quem ousa ir até lá.

O cemitério é um dos meus livros favoritos do Stephen King, ao contrário da maioria das histórias, aqui o King não é tão prolixo e vai direto ao ponto, o que torna a trama muito mais envolvente,  ele é repleto de doses de suspense no início que nos fazem questionar "mas que lugar é esse além do cemitério e o que acontece com quem vai lá?" é importante frisar que esse livro é bem puxado pro terror.

Eu realmente só vejo pontos positivos neste livro, apesar de muitas pessoas, incluindo o próprio King, sua esposa Tabitha e seu amigo Peter Straub, autor de O Talismã e A Casa Negra não gostarem. O final também é muito bom, um dos melhores que já li dos livros do King.

Inclusive eu sempre recomendo o livro pra quem nunca leu nada do King ou para quem leu pouco e quer conhecer a escrita do King no terror.

Existem duas adaptações desse livro, a primeira é de 1989, se chama O cemitério maldito e é realmente muito boa e contou com participação ativa do King na produção e também uma pequena participação em uma cena do filme, foi filmada uma continuação da primeira adaptação, chamada Cemitério Maldito 2, que eu assisti recentemente e gostei, achei que souberam aproveitar esse universo, ao contrário do remake lançado em 2019, que eu não considero boa, já que mudou pontos importantes da história.

A primeira adaptação e sua continuação estão disponíveis na Netflix.

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Priscila Biancardi

 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em bullying editora intrínseca intrínseca investigação liane moriarty livros que viraram filmes mistério pequenas grandes mentiras relações familiares violência doméstica

Resenha: Pequenas grandes mentiras - Liane Moriarty

 

Livro: Pequenas grandes mentiras
Autora: Liane Moriarty
 Editora: Intrínseca
Páginas: 400
Nota:


Sinopse

Um assassinato, um trágico acidente ou apenas adultos se comportando como crianças? O fato é que alguém morreu.

Todos sabem, mas ainda não se elegeram os culpados. Enquanto o misterioso incidente se desdobra nas páginas de Pequenas grandes mentiras, acompanhamos a história de três mulheres, cada uma diante de sua encruzilhada particular. Madeline é forte e passional. Separada, precisa lidar com o fato de que o ex e a nova mulher, além de terem matriculado a filhinha no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline, parecem estar conquistando sua filha mais velha. Celeste é dona de uma beleza estonteante. Com os filhos gêmeos entrando para a escola, ela e o marido bem-sucedido têm tudo para reinar entre os pais. Mas a realeza cobra seu preço, e ela não sabe se continua disposta a pagá-lo. Por fim, Jane, uma mãe solteira nova na cidade que guarda para si certas reservas com relação ao filho. Madeline e Celeste decidem fazer dela sua protegida, mas não têm ideia de como isso afetará a vida de todos. Reunindo na mesma cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos domésticos, o romance de Liane Moriarty explora com habilidade os perigos das meias verdades que todos contamos o tempo inteiro.

Best-seller do The New York Times na semana do lançamento, Pequenas grandes mentiras foi adaptado para a TV pela HBO e tem estreia prevista para fevereiro. Com 7 episódios, Big Little Lies conta com a produção de Reese Whitherspoon e Nicole Kidman que, com Shailene Woodley, também interpretam as protagonistas.


Minha opinião

Em "Pequenas grandes mentiras" somos apresentados a três protagonistas totalmente diferentes: Madeline, Jane e Celeste.

Madeline acabou de fazer 40 anos e bem no dia do seu aniversário torce o pé, mas Jane vai em seu socorro e leva Maddie para um café local, lá também acaba conhecendo Celeste. A ligação entre Maddie e Jane é instantânea, no momento em que elas se conhecem, Madeline tem vontade de proteger Jane e isso se dá ao fato desta ser nova na cidade, ter apenas 24 anos e ser mãe solteira de um garotinho de 5 anos.

Logo no início do livro nós descobrimos que está em andamento uma investigação de assassinato, mas não sabemos quem morreu e nem que matou, tudo o que sabemos é que o crime ocorreu na escola primária na noite de um concurso de soletração que estava acontecendo, mas essa trama do livro acaba ficando em segundo plano porque ficamos tão envolvidos na vida das três protagonistas, que só nos lembramos que está tendo essa investigação quando somos lembrados no começo ou no final de algum capítulo.


"Quando alguém que você amava dependia da sua mentira, ela vinha fácil."


As protagonistas são muito cativantes e cada uma trava uma batalha interna: Madeline acabou de fazer 40 anos, não sabe muito bem lidar com essa idade, além disso está tendo dificuldades em lidar com sua filha de 14 anos.
Jane é mãe solteira de um menino de 5 anos que começa a questionar sobre o pai, mas Jane se recusa terminantemente a revelar quem é o pai dele.
Celeste está em um casamento aparentemente perfeito com um homem rico e bonito, mas entre quatro paredes sofre violência doméstica.

Esse livro foi uma surpresa muito agradável pra mim, nunca tinha lido nada da Liane, e essa leitura me arrebatou de uma forma que me fez querer ler tudo da autora e fez eu me questionar porque não li nada dela antes. O livro tem uma escrita totalmente envolvente, no início a gente acha que o que vai nos despertar a curiosidade é somente a investigação de assassinato, mas também ficamos muito curiosos pra saber o que as protagonistas irão fazer para resolver seus problemas.

Liane Moriarty nos apresenta personagens muito reais, então em diversas situações eu me identificava com alguma protagonista.

Além dos personagens cativantes e reais, a autora aborda neste livro temas importantes como violência doméstica, bullying, relações familiares, entre outros, mas apesar de tantos temas importantes, ela consegue manter a narrativa leve e divertida, onde em vários momentos me vi rindo de alguma situações, principalmente alguma situação com a Madeline, que é uma personagem impossível de não gostar.

Enfim, leiam o livro e se apaixonem pela escrita da Liane Moriarty como eu me apaixonei.

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Priscila Biancardi

 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários