Em colleen hoover é assim que acaba é assim que acaba colleen hoover galera record grupo editorial record relacionamento abusivo resenha violência doméstica

Resenha: É assim que acaba - Colleen Hoover

Livro: É assim que acaba
Autora: Colleen Hoover
  Editora: Galera Record
Páginas: 368
Nota:⭐⭐⭐
Livro lido com as parceiras do @bookcall

Sinopse

Um romance sobre a força necessária para fazer as escolhas corretas nas situações mais difíceis. Da autora das séries Slammed e Hopeless.

Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade.

Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça ― seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade.

Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco.Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

Minha opinião

Acho que vocês nunca me viram com tanta dificuldade para escrever uma resenha quanto com essa aqui.

Posso começar dizendo que foi um dos livros que, apesar de eu ter lido rápido, foi muito difícil de ler e não me envergonho de dizer que finalizei a leitura em prantos.

Sempre tive vontade de ler algo da Colleen Hoover por saber que ela costuma falar verdades nuas cruas em livro, ou seja, ela escreve sobre assuntos reais, dolorosos mas que precisam ser falados.

Eu ia começar a ler suas obras pelo livro "Um caso perdido", mas surgiu o convite das minhas parceiras do @bookcall para ler "É assim que acaba" e acabou sendo ele mesmo o primeiro.

Lily cresceu em um lar presenciando constantemente a violência doméstica e tendo apenas cartas não-enviadas para Ellen DeGeneres para desabafar até conhecer Atlas, seu primeiro amor.

A relação de Lily com Atlas é simplesmente a coisa mais pura e genuína que já vi. No entanto, Atlas precisa melhorar de vida e acaba partindo depois de se alistar na Marinha.

A vida continua e Lily também seus sonhos. Se mantém longe de casa durante a faculdade e ao terminá-la resolve ir para Boston, onde tudo é melhor, segundo Atlas.

Lá, ela conhece Ryle e a química entre os dois é instantânea. Muitos segredos são contados nesse primeiro contato, mas que mal há em contar segredos para um desconhecido?

Mas o destino sempre prega peças e faz com que se reencontrem e quando estão se conhecendo melhor, um velho amor ressurge na mesma cidade.

E agora? Como Lily reagirá ao reencontro com Atlas? O que ela sente por Ryle? Somente amor é suficiente para sustentar uma relação?

É um livro muito difícil de comentar sem dar spoilers, mas devo avisar que se o tema violência doméstica desperta gatilhos em você, evite ao máximo esse livro.

Colleen Hoover consegue trazer um livro que mostra o quanto as mulheres fortes, independentes e não devem se submeter a nada que as faça mal e com isso conforta quem já passou pelo mesmo e ensina quem não passou o quão difícil é para uma mulher nessa situação ver com clareza que ela não é a culpada e que não há desculpas para violência.

A autora mostra para todas as mulheres que elas não estão sozinhas e que devem sair de relacionamentos abusivos, e também para mostrar aos homens como nunca se comportar com uma mulher.

Um livro de despedaçar o coração. Sofrido, mas extremamente necessário.

Você pode adquiri-lo aqui.

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em a garota do lago charlie donlea faro editorial faroníacos mistério suspense thriller

Resenha: A garota do lago - Charlie Donlea

Livro: A garota do lago
Autor: Charlie Donlea
  Editora: Faro Editorial
Páginas: 296
Nota:⭐⭐⭐
Livro escolhido para Dezembro no Faroníacos

Sinopse

ALGUNS LUGARES PARECEM BELOS DEMAIS PARA SEREM TOCADOS PELO HORROR...

Summit Lake, uma pequena cidade entre montanhas, é esse tipo de lugar, bucólico e com encantadoras casas dispostas à beira de um longo trecho de água intocada. Duas semanas atrás, a estudante de direito Becca Eckersley foi brutalmente assassinada em uma dessas casas. Filha de um poderoso advogado, Becca estava no auge de sua vida. Atraída instintivamente pela notícia, a repórter Kelsey Castle vai até a cidade para investigar o caso.

E LOGO SE ESTABELECE UMA CONEXÃO ÍNTIMA QUANDO UM VIVO CAMINHA NAS MESMAS PEGADAS DOS MORTOS...

E enquanto descobre sobre as amizades de Becca, sua vida amorosa e os segredos que ela guardava, a repórter fica cada vez mais convencida de que a verdade sobre o que aconteceu  com Becca pode ser a chave para superar as marcas sombrias de seu próprio passado...

Minha opinião

Summit Lake é um lugar tranquilo, há anos não é registrado um assassinato na região, por isso Becca escolhe o lugar para estudar para suas provas finais, mas o que ela não sabia era que estava caminhando para a morte.

Becca foi brutalmente assassinada, o que chocou as pessoas da tranquila Summit Lake. Por que uma estudante de direito teria sido morta a sangue frio?

E é isso que a repórter Kelsey vai investigar. Aparentemente parece um caso comum de assassinato, mas Kelsey descobre que algumas pessoas estão fazendo de tudo para esconder informações relevantes da polícia. Será mesmo que se trata apenas de um simples assassinato?

Esse foi o meu primeiro contato com a escrita do Charlie Donlea e só consigo me perguntar por que eu demorei tanto assim pra ler algo dele.

No inicio pode parecer apenas mais um thriller, mas esse livro não tem nada de  comum e previsível, o Charlie sabe como prender a atenção do leitor e manter o  mistério, para isso ele vai liberando informações aos poucos, de modo que o  leitor descubra o plot apenas quando ele quer.

Estou ansiosa para ler mais livros do autor.

Por Priscila Biancardi.

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em a corrente a corrente filme a corrente livro adrian mckinty editora record livros que viraram filmes mistério resenha suspense thriller

Resenha: A corrente - Adrian McKinty

Livro: A corrente
Autor: Adrian McKinty
  Editora: Record
Páginas: 378
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Vítima. Sobrevivente. Sequestrador. Criminoso. Você vai se tornar cada um deles.

O dia começa como qualquer outro. Rachel Klein deixa no ponto de ônibus a filha de 13 anos, Kylie, e segue sua rotina. Mas o telefonema de um número desconhecido muda tudo. Do outro lado, uma voz de mulher avisa que Kylie está no banco de trás de seu carro, e que Rachel só verá a filha de novo se pagar um resgate ― e sequestrar outra criança.

Assim como Rachel, a mulher no telefone é mãe, também teve o filho sequestrado e, se Rachel não fizer exatamente o que ela manda, o menino morre, e Kylie também. Agora Rachel faz parte da Corrente, um esquema aterrorizante que transforma os pais das vítimas em criminosos ― e, ao mesmo tempo, deixa alguém muito rico. A Corrente é implacável, apavorante e totalmente anônima.

As regras são simples: entregar o valor exigido, escolher outra vítima e cometer um ato abominável do qual, apenas vinte e quatro horas antes, você se julgaria incapaz. Rachel é uma mulher comum, mas, nos dias que se seguem, será levada a extremos que ultrapassam todos os limites do aceitável. Ela será obrigada a fazer escolhas morais inconcebíveis e executar ordens terríveis.

Os cérebros por trás da Corrente sabem que os pais farão qualquer coisa pelos filhos. Mas o que eles não sabem é que talvez tenham se deparado com uma oponente à altura. Rachel é inteligente, determinada e... uma sobrevivente.

Minha opinião


Rachel é uma mulher resiliente. Sobreviveu a um câncer e apesar dos exames atuais não serem muito animadores, ainda há esperança pra ela. Com o câncer, veio também o divórcio. Agora depois de um ano depois do tratamento e do divórcio, está prestes a voltar a trabalhar. Desanimada com os exames, animada em se tornar professora de filosofia.

Então, imagina só se sua vida já não estivesse lá essas coisas e você recebesse um telefonema dizendo que a pessoa mais importante na vida e praticamente tudo que você tem no momento, sua filha, foi sequestrada? É assim que somos apresentados à corrente.

Até onde você iria pelo seu filho? É nisso que a Corrente aposta para extorquir vários pais por aí.

Como qualquer corrente, essa não pode ser quebrada, mas diferente das que recebemos por aí e ignoramos, sair da Corrente implica na morte do seu filho e na sua.

Não tendo para onde correr, Rachel se vê fazendo coisas que jamais imaginaria fazer e se afundando cada vez mais na Corrente. Será que o terror que a Corrente causa um dia vai acabar? Quem está por trás dela?

A corrente é livro com ritmo eletrizante. O meu maior medo assim que comecei a ler foi justamente esse: nossa, é muita coisa acontecendo, esse livro já começa lá no alto, será que o final vai conseguir acompanhar?

Mas pro final do livro o autor se perde um pouquinho e começa a revelar detalhes que vão te ajudando a desvendar o final antes da chegada dele e alguns artifícios são de certa forma muito convenientes, daqueles que a gente fala: "hum, que coincidência ele pegar/achar tal coisa logo agora", sem contar as vezes que é possível imaginar que os personagens só podem ter olhos de águia para enxergar tão bem ao longe. Ok que eu tenho miopia, mas não acredito que um emetrope em situação de risco enxergue tão melhor assim, ou talvez o autor tenha me passado a impressão de distância maior que realmente era.

Mas isso não faz do livro ruim. De fato o enredo é bom e toda parte mais mirabolante não só renderia, como está rendendo um bom filme, já que os direitos do livro foram comprados pela Paramount.

Algumas curiosidades:

Adrian McKinty, antes de lançar o livro, trabalhava como Uber, assim como a personagem Rachel antes de conseguir emprego de professora.

Em dado momento do livro, um matemático fala do seu encantamento com números primos e diz que todo livro deveria terminar com 77 capítulos. Esse é o caso de "A corrente". Ah, e se você não curte capítulos longos esse livro é perfeito para você!

O livro é recheado de cultura. São citados Stranger Things, Harry Potter, Harper Lee, Moby Dick, Jane Austen, George Orwell, X-men, Red Sox, Yankees, Norman Bates, alguns filósofos, artistas como A-ha, Ed Sheeran, Rolling Stones, Sam Cooke e mais um monte de referências.

E se você é daqueles que gosta de quotes, esse livro é um prato cheio!

Você pode adquirir o livro aqui e não se esqueça: "Não é sobre o dinheiro, é sobre a Corrente!"

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

5 Comentários

Em comédia romântica e se fosse verdade editora suma livros que viraram filmes marc levy resenha romance

Resenha: E se fosse verdade - Marc Levy

Livro: E se fosse verdade
Autor: Marc Levy
  Editora: Suma
Páginas: 256
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Autor francês mais lido em todo o mundo, Marc Levy deve em muito o sucesso de suas vendas e críticas positivas a E se fosse verdade..., livro que marcou sua estreia literária.

O romance nasceu da ideia de Levy, à época um empresário de sucesso, escrever uma história para seu filho, para que ele a lesse quando chegasse à idade adulta.

Lauren é uma jovem médica com muito potencial: faz residência no San Francisco Memorial Hospital, na Califórnia. Porém, sua carreira promissora é interrompida quando ela é vítima de um grave acidente de carro e fica em estado de coma.

Com morte cerebral confirmada, ela acorda e descobre que está fora de seu corpo – incomunicável como um fantasma. De forma misteriosa, Lauren consegue ser vista apenas pelo solitário Arthur, o novo inquilino de seu apartamento.

Cético, ele leva algum tempo para acreditar na história da invasora, mas logo o sentimento entre os dois se torna algo a mais. Sem esperanças, os médicos e a família da jovem decidem fazer a eutanásia. Agora, o casal terá que lutar para salvar o corpo de Lauren, e descobrir alguma forma de reuni-lo com sua consciência.


Minha opinião

Lembra-se do filme com Reese Witherspoon e Mark Ruffalo que passava na sessão da tarde? Pois bem, hoje iremos apresentar o livro.

Lauren estuda medicina, mas já tem um cargo no hospital, um dia ela sai apressada do trabalho para comparecer a um encontro, mas acaba sofrendo um acidente e acaba sendo internada em coma no hospital onde trabalha.

Arthur é um arquiteto que se muda pro antigo imóvel de Lauren, ele julga estar sozinho no apartamento, mas um dia, ao tomar banho, dá de cara com Lauren e  começa a questionar sua sanidade quando descobre que a moça não está  realmente lá.

Juntos, Lauren e Arthur descobrem que o espírito da moça está vagando por aí,
agora eles precisam se juntar para que ela possa recuperar seu corpo.

E se fosse verdade é aquela comédia romântica que aquece nosso coração e é
perfeita para ler em uma tarde chuvosa com uma xícara de café ou de chá.

O filme apesar de ter algumas diferenças, tipo os nomes dos personagens, vale
tanto a pena quanto o livro. Falamos um pouquinho sobre ele no post de Top 10 Comédias Românticas dos anos 2000.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

1 Comentários

Em bidu cachorro franjinha graphic msp graphic novel juntos maurício de sousa panini comics

Resenha: Bidu - Juntos de Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho

Livro: Bidu - Juntos
Autor: Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho
  Editora: Panini Comics
Páginas: 80
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

De repente, Bidu deixou as ruas e passou a ter um dono. Mas essa nova emocionante realidade vai trazer muitas dúvidas e problemas, tanto para ele quanto para o pequeno Franjinha. E é isso que os autores Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho contam em Juntos, mais uma divertida e emocionante Graphic do cãozinho azul criado por Mauricio de Sousa.

Minha opinião

Primeiramente quero comemorar a vitória de conseguir fazer meu cachorro aparecer em uma foto desse blog sem precisar tirar 50 fotos para selecionar uma única boa porque ele não para quieto.

Brincadeiras à parte, eu amo muito essa coisa fofa. E por conhecer de perto o amor por um canino que essa graphic novel se torna ainda mais especial.

Em Bidu - Juntos, vemos a adaptação de Bidu à Franjinha e vice-versa. As dificuldades iniciais de ensinar um cachorro o que ele pode ou não fazer e as reclamações dos pais quanto à dificuldade de adaptação.

E mais difícil que ensinar o comportamento dentro de casa é o momento da separação na hora de colocar o cachorrinho para se adaptar ao quintal.

Franjinha anota todo o comportamento de Bidu desde que ele chegou na sua casa e percebe o quanto a adaptação no quintal tem sido difícil...

Até que repentinamente Bidu parece mais animado, mas tem algo curioso aí. O que será que aconteceu ou apareceu no quintal que mudou o comportamento de Bidu tão drasticamente?

Mais uma vez uma graphic novel da Graphic MSP, selo do Maurício de Sousa produções, consegue me emocionar.

Bidu - Juntos é de uma sensibilidade tamanha e que nos mostra a pureza e persistência de uma criança que muitas vezes falta em nós adultos. E mostra também, claro, o amor incondicional de uma animal ao seu melhor amigo.

A edição é um show à parte. Arte impecável, impressão muito bem feita, bem colorida como vocês podem ver.


Recomendadíssima aos amantes de Turma da Mônica e Graphic Novel de todas as idades.

Você pode adquirir aqui.

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

3 Comentários

Em editora arqueiro james patterson liza marklund os assassinos dos cartão-postal suspense thriller

Resenha: Os assassinos do cartão-postal - James Patterson e Liza Marklund

Livro: Os assassinos do cartão-postal
Autores: James Patterson e Liza Marklund
  Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Uma viagem para conhecer as mais belas cidades da Europa é o sonho de qualquer pessoa. Porém, o detetive da NYPD Jacob Kanon não está interessado nos pontos turísticos. Após receber a notícia do brutal assassinato de sua filha e namorado, mortos em Roma, Kanon viaja para o Velho Continente para tentar juntar pistas sobre o crime que mudou sua vida.

E a onda de assassinatos está só começando: jovens casais são encontrados
mortos em Paris, Copenhague, Berlim e Estolcomo. Os crimes parecem não estar conectados, com exceção de um cartão-postal enviado para o jornal local da cidade de cada nova vítima. Quando a repórter sueca Dessie Larsson recebe um postal, Kanon junta forças com a jornalista e partem para o novo destino para tentar capturar o serial killer.

Minha opinião


Depois de perder sua filha e o genro em um crime brutal, o detetive Kanon viaja
para Roma para tentar pegar o assassino.

Na sua missão, o detetive descobre que tem um serial killer à solta matando jovens casais em várias cidades do mundo, e a única pista são cartões postais que são enviados para jornais a cada vitima feita.

Esse foi um dos primeiros livros de thriller que li, resolvi trazer resenha dele após tantos anos porque esse livro foi um divisor de águas na minha vida literária, foi um livro que definiu o tipo de livro que eu leria constantemente.

James Patterson tem uma escrita bem objetiva, ele apresenta todas as cartas e a ação fica por conta de perseguição do detetive em busca dos serial killers.

livro não tem grandes reviravoltas, mas mesmo assim é um livro ótimo para quem curte um bom thriller.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em a profecia apocalipse david seltzer maratona do desespero pronome interrogativo terror the omen

Resenha: A profecia - David Seltzer

Livro: A profecia
Autor: David Seltzer
  Editora: Círculo do Livro
Páginas: 204
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Jeremy Thorn e sua mulher Katherine recebem na maternidade a notícia de que seu filho nasceu morto, e são induzidos pelo Padre Spillietto a adotar um menino cuja mãe havia morrido de parto. Damien, a criança adotada, é na verdade o Anticristo profetizado pela bíblia, e tudo faz parte da trama de um grupo que tem pacto com o Diabo. Começa a ter lugar uma série de estranhos "acidentes" fatais envolvendo a vida dos Thorn.

Todo esse terror inexplicável se concentra em torno de seu filho Damien e seu estigma maligno. Uma narrativa surpreendente, que alcança um grau de emoção, mistério e suspense poucas vezes afligido por qualquer livro do gênero. Mantém o leitor eletrizado e preso nas malhas de uma intriga surpreendente e dramática.

Minha opinião

Lembra daquela criancinha arteira que você costuma chamar de "filho do demônio", pois bem, você nunca mais a chamará assim depois de conhecer Damien Thorn.

Jeremy Thorn e sua mulher, Katherine sonham em ter um filho. Depois de passar por dois abortos, finalmente Katherine consegue levar a gravidez até o fim. No entanto, surpreendentemente Jeremy recebe a notícia de que seu filho nasceu morto.

Um padre envolvido no parto diz que naquele mesmo local uma criança nasceu e sua mãe morreu no parto. Seria a chance da criança ter uma família e a esposa de Jeremy nunca precisaria saber que seu filho morreu, já que o bebê se parecia muito com eles, e aí que Jeremy abre as portas para que o mal se instale em sua família.

Já tinha ouvido falar muito sobre o filme adaptado desse livro apesar de nunca o ter assistido. Então, um belo dia pesquisando sobre terror me senti muito atraída por esse enredo e vendo que não o encontrava mais à venda, optei por comprá-lo em um sebo no estante virtual.

E até agora não entendo porque demorei tanto para o ler finalmente. Escolhi esse livro para as categorias "Um livro que você diz que sempre vai ler" e "Um livro clássico" da Maratona do Desespero da youtuber Thaís do Pronome Interrogativo e me surpreendi demais com ele.

Jeremy vai contar com a ajuda do fotógrafo Jennings, que fica assustado ao perceber um certo padrão de manchas nas fotos que tira de pessoas relacionadas à família Thorn, e do padre Tassone que esconde um segredo horripilante de seu passado, para desvendar porque o mal vem o seguindo. Quem é Damien? Quem era a mãe de Damien?

Eu não costumo sentir medo de livros de terror, mas devo dizer que as cenas mais tensas do livro são belamente descritas por David Seltzer as tornando extremamente chocantes e ele consegue deixar o leitor aflito conforme a profecia vai se concretizando e vamos acompanhando as coisas ruírem.

E vocês sabem como eu amo um enredo bem construído onde podemos ver que o escritor teve todo o trabalho da pesquisa para montar o livro. David traz alguns dados históricos e diversas passagens bíblicas que caem como uma luva tratando-se de um livro tão apocalíptico quanto esse.

Se o bem ou o mal venceu? Aí vocês terão que ler para conferir.

Recomendadíssimo para os amantes de terror.

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários