Em arte autor brasileiro autor nacional cotidiano editora autografia eduardo maciel família fotografia imagens parceria poemas sonetimagem soneto sonetos

Resenha: SonetIMAGEM - Eduardo Maciel

Livro: SonetIMAGEM
Autor: Eduardo Maciel
  Editora: Autografia
Páginas: 206
Nota: 
Livro gentilmente cedido pelo autor


Sinopse

SonetIMAGEM é o segundo livro de uma série de sete livros dedicados ao resgate cultural dos sonetos na literatura brasileira, em suas mais diferentes formas de concepção já catalogadas, e o primeiro onde se busca a interconexão entre sonetos e outras linguagens da arte.


Nessa obra se busca interpretar o conteúdo dos textos dos poemas através de imagens e fotografias, buscando o autor tornar ainda mais lúdica a experiência poética.
Numa atualidade onde imagens parecem ter cada vez mais relevância, nessa obra busco promover o casamento de letras com fotos, e convido o leitor a fazer tantas associações quanto forem possíveis entre o que escrevo e cenas de seu cotidiano, para fazer fecundo esse casamento, que pode gerar infinitos filhos, usando o eu-lírico como aliança de compromisso.

Embarquem comigo nessa grande viagem rumo ao infinito, ainda que finita seja a percepção de um frame.


Minha opinião

SonetIMAGEM é a continuação do livro SonetAto do autor Eduardo Maciel e conta com 50 sonetos.


O poema "Lágrimas de Favela" do poeta Davi Noronha Araújo Maranhão como introdução, já determina de forma emocionante e reflexiva o tom que o livro terá.


SonetIMAGEM é um livro muito bem pensado. Todos os sonetos são iniciados com fotografias tiradas pelo autor ou imagens escolhidas pelo mesmo que conversam perfeitamente com a obra.

Foi interessante poder fazer uma verdadeira viagem sem sair do lugar nessa quarentena. Ver e ler sobre alguns rostos, corpos, locais e objetos desconhecidos imaginando a história por traz de cada foto além dos sonetos atrelados a elas.

Os sonetos falam sobre temas cotidianos e revelam sobre a personalidade e vida do autor. E assim seguindo o tema cotidiano, o autor se preocupa em manter uma linguagem condizente.

O livro é também uma verdadeira aula, visto que no início de cada soneto, o autor se preocupou em dizer qual tipo de soneto traz.

Em alguns sonetos é possível ver a parte crítica do autor aflorando, e ele o faz sem rodeios, o que rende até risadas como no soneto "Cardápio" onde faz duras críticas sobre a relação do ser humano com a tecnologia e em "Moda Chinesa" que fala sobre filhos que pedem um irmãozinho.

Os sonetos que mais me agradaram e merecem menção honrosa nessa resenha foram: Cardápio, Self portrait, Resistência, Moda Chinesa, Lápide, O poder das palavras, Sino da Paz, Ciclos, Violência, Batuta, Superação, Jogo da vida, Recomeço, Rio de Janeiro.

"Dizem que a vida é montanha-russa
Mas é salto de paraquedas
Não tem frio na barriga na queda
Só o medo de cair sem parar nunca".

Você pode adquiri-lo aqui.

Por Amanda Rocha


Posts Relacionados

2 comentários:

  1. Oi, Mandy!
    A foto tá LINDA e a resenha mais bonita ainda, gostei dos pontos críticos, além de mencionar uma crítica ao sistema chinês. Super interessante. Fiquei tentada, como tu sabe, não sou só de prosa, mas de poesia também.
    Anotei!

    ResponderExcluir
  2. Que proposta legal! Admito que de sonetos só conheço os do Vinicius de Moraes, que gosto muito por sinal. Achei uma excelente ideia combinar texto e imagem, especialmente porque hoje em dia a maior parte das pessoas é muito visual. Parece mesmo uma obra muito interessante, fiquei curiosa.

    ResponderExcluir