Resenha: Flores para Algernon - Daniel Keyes - Sobre a leitura

Resenha: Flores para Algernon - Daniel Keyes

Livro: Flores para Algernon
Autor: Daniel Keyes
Editora: Aleph
Páginas: 288
Nota:⭐⭐⭐⭐

Sinopse

Aos 32 anos, Charlie trabalha na padaria Donners, ganha 11 dólares por semana e
tem 68 de QI. Porém, uma cirurgia revolucionária promete aumentar a sua inteligência,
considerada gravemente baixa. O problema? Enxergar o mundo com outros olhos e
mente pode trazer sacrifícios para a sua própria realidade. E resta saber se Charlie
Gordon está disposto a fazê-los.

Minha opinião


Charlie não é tão esperto como gostaria de ser, ele sonha em ser inteligente e vê essa
oportunidade chegando quando é aprovado para participar de um experimento que
promete elevar muito seu grau de inteligência, mas será que isso também significa
elevar sua felicidade?

Flores para Algernon é um livro cheio de mensagens, questionamentos e reflexões, o
livro nos faz refletir em como a sociedade trata os deficientes intelectuais e como as
pessoas podem ser cruéis com as outras só por elas serem diferentes.

Charlie sempre acreditou que tivesse amigos que rissem com ele, mas no que o
experimento foi avançando e ele ficando mais esperto, descobriu que na verdade eles
riam dele e esse fato me fez refletir que às vezes permanecer na ignorância pode ser
mais saudável para a nossa mente, o famoso “o que os olhos não veem o coração não
sente”. 

Enfim, Flores para Algernon é um clássico de leitura obrigatória, é uma sensibilidade
enorme e ao contrário de alguns clássicos, tem a linguagem bem fluida. Recomendo
que leiam com uma caixa de lenços do lado.

Por Priscila Biancardi

Talvez você também goste

6 comentários

  1. Que premissa interessante, gostei muito da ideia de começar a enxergar a vida com outros olhos, infelizmente nem sempre conhecer a realidade pode ser a escolha que traz felicidade.

    ResponderExcluir
  2. Que ideia interessante a dessa história. Nunca tinha ouvido falar mais me chamou muito a atenção. E fiquei aqui pensando o quanto de verdade existe naquela afirmação de que "a ignorância é uma benção". Eu sempre discordei veementemente disso, mas essas história me provocou aqui algumas reflexões.

    ResponderExcluir
  3. Esse livro esta na minha lista. Ouço ótimas criticas...Adorei a premissa! Mas são tantos livros...Parabéns pela resenha...

    ResponderExcluir
  4. Li esse livro já tem algum tempo... na época estávamos a questionar a real importância do QI do ser humano e a defender a idéia de que somos todos inteligentes, mas nem todos temos um emocional equilibrado e o livro serviu de exemplo, já que nos coloca diante de um personagem, o Charlie que tem um passado complicado: ele sofreu agressões verbais e traumas emocionais significativos. O experimento ao qual é submetido não apaga nada disso, apenas lhe dá uma nova consciência do que lhe acontecia.

    bacio

    ResponderExcluir
  5. Oi! Um clássico bem no perfil da Editora Aleph, não é verdade? Me seria uma leitura bem fora da.minha zona de conforto, mas que eu super toparia! Bela resenha! Bjs

    ResponderExcluir
  6. Eu já vi algumas resenhas desse livro no instagram, mas sua resenha me deu uma visão melhor sobre o que exatamente é a história. Que fascinante e triste! Esse com certeza é um livro que vai entrar para a minha lista de leitura. Confesso que não costumo ler tantos clássicos assim, mas a premissa é tão diferente *o* adorei sua resenha!

    ResponderExcluir