In amizade anderson assis anime anime pointe danilo evento de anime just dance mangá rio de janeiro zona oeste

Resenha: Danilo e o evento de anime - Anderson Assis

Livro: Danilo e o evento de anime
Autor: Anderson Assis
Editora: Editorial Oeste
Páginas: 64
Nota:⭐⭐⭐⭐
Livro gentilmente cedido pelo autor


Sinopse
Essa é uma história sobre a paixão pelo Just Dance.
O amor pelo Cosplay.
Um mundo de tribos e costumes.
E acima de tudo...
Uma história sobre amizade e diversão!

Apaixonado por anime e mangá, mas principalmente amante inveterado do jogo Just Dance, Danilo não consegue acreditar, quando recebe um panfleto na porta da escola, e percebe que terá finalmente a oportunidade de ir a um evento de anime. Ávido por cada detalhe, ele pesquisa cada atração e atividade e se vê esperando ansiosamente pelo grande dia.

Minha opinião

Danilo é um grande fã de animes, mangás e jogos, especialmente Just Dance. O menino fica desacreditado ao ver em um panfleto que em seu bairro ocorrerá um evento de anime que promete ter torneio de Just Dance, concurso de cosplay, bate papo sobre dublagem com a atriz e dubladora Carla Pompílio, show com a cantora Larissa Tassi e muito mais!

Danilo prontamente convida seus amigos para irem, mas ainda não tão certo de que haveria tudo aquilo que fora prometido, já a região em que mora é bem pobre de eventos culturais... E eu super entendo Danilo! Para quem não sabe, eu também moro na Zona Oeste do Rio de Janeiro, assim como o protagonista e o autor do livro. A presença do evento de anime Anime Point era realmente um acontecimento aqui. Até quem não gostava muito de anime acabava comparecendo para encontrar seus amigos.

Infelizmente não peguei os primeiros eventos desses e acabei indo em um só em Campo Grande que se realizou no S.M. 10 de maio, um clube aqui no meu bairro, e lembro bem do dia e do quanto gostei da banda cantando covers de várias aberturas de animes famosos.

Ler Danilo e o evento de anime foi como viajar no tempo. Relembrar de tantas amizades que fiz por causa do gosto pelo mangá, do primeiro mangá lido por recomendação de um amigo, curso de desenho de mangá, tardes lendo Death Note, assistindo Onegai Teacher e claro, dançando, mas no meu caso era o famoso DDR. Fosse no tapetinho em casa ou no shopping com meu amigo. E como vocês podem ver na foto essa minha paixão pelos jogos de dança me acompanha até hoje. Passou de DDR para Dance Central e por fim, Just Dance.

E Anderson Assis marcou a vida de muitos com esses eventos. Certamente 9 de 10 amigos meus estiveram no evento como visitantes e até trabalhando. Hoje já temos mais eventos culturais em nossa área, mas indubitavelmente ele deu o pontapé inicial.

Danilo e o evento de anime é um livro inspirador que mostra de forma singela o sonho de uma criança se tornando realidade. O evento foi de fato tudo que foi prometido no panfleto que Danilo recebeu e muito mais. Danilo e seus amigos se divertiram como nunca antes, e aquele foi um dia que ficará sempre marcado na memória de Danilo, assim como ficou na minha.

Você pode adquirir o livro aqui. Lembrando que: ele faz parte do Kindle Unlimited. Então, se você é assinante, não paga nada para ler!

Por Amanda Rocha


Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

13 Comentários

In a metade sombria editora suma george stark pseudônimo stephen king suspense terror thad beaumont

Resenha: A metade sombria - Stephen King

Livro: A metade sombria
Autor: Stephen King
Editora: Suma
Páginas: 464
Nota:⭐⭐⭐⭐

Sinopse

Criar George Stark foi fácil. Se livrar dele, nem tanto. Há anos, Thad Beaumont vem escrevendo, sob o pseudônimo George Stark, thrillers violentos que pagam as contas da família, mas não são considerados “livros sérios” pelo escritor. Quando um jornalista ameaça expor o segredo, Thad decide abrir o jogo primeiro, e dá um fim público ao pseudônimo. Beaumont volta a escrever sob o próprio nome, e seu alter ego ameaçador está definitivamente enterrado.

Tudo vai bem. Até que uma série de assassinatos tem início, e todas as pistas apontam para Thad. Ele gostaria de poder dizer que é inocente, que não participou dos atos monstruosos acontecendo ao seu redor. Mas a verdade é que George Stark não ficou feliz de ser dispensado tão facilmente, e está de volta para perseguir os responsáveis por sua morte.

Minha opinião

Quando criança, Thad Beaumont já se mostrava inclinado para seguir uma grande carreira de escritor e quando ele passou por uma cirurgia para retirar corpos estranhos do cérebro, sua criatividade não foi afetada, mas despertou suspeitas estranhas no médico.

30 anos se passaram, Thad é um escritor razoavelmente famoso, porém quem detém maior parte da fama é seu pseudônimo, que na verdade ninguém sabe que é ele: George Stark. Com George Stark, Thad pode soltar uma veia artística mais violenta, mas Stark não é um cara muito legal, e quando um repórter descobre que quem está por trás de George é na verdade Thad, o escritor resolve matar a sua criação, com direito a funeral e tudo, mas isso pode despertar a ira de George Stark.

Quando George Stark é supostamente morto e enterrado, não fica muito feliz e resolve caçar todos os que contribuíram para sua morte, o problema é que todas as suspeitas vão apontar para Thad, mas será que vão acreditar que George Stark que está por trás disso, já que na verdade ele não existe?

Em A Metade Sombria, Stephen King coloca um pouco da sua história nas páginas do livros e é um jeito de conhecermos ainda mais a vida e o estilo de escrita dele, ou seja, leitura obrigatória pra quem é fã ou pra quem quer conhecer um pouco mais sobre Stephen King.

Curiosidade

Muitos de vocês devem saber que durante anos Stephen King escreveu como o pseudônimo Richard Bachman e de fato as pessoas achavam que Bachman era uma pessoa, mas um repórter descobriu que Stephen estava por trás disso tudo, então King resolveu matar Richard Bachman dizendo que ele teve câncer do pseudônimo e todo mundo acreditou haha.

Afinal de contas, qual é a diferença na escrita de King e Bachman?
Quando King escreve como Bachman, são livros que ele jamais assinaria com seu nome, livros violentos, livros escritos pela metade sombria dele.

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

15 Comentários

In editora autografia ela lgbt lgbtqia+ manu manuela marcos gallão pride romance

Resenha: Manu, ela - Marcos Gallão

Livro: Manu, ela
Autor: Marcos Gallão
Editora: Autografia
Páginas: 194
Nota:⭐⭐⭐⭐

Sinopse


Anna é uma adolescente de 15 anos que já sofre com as pressões da sociedade. Além de lidar com as insistentes cobranças de seus pais ao compará-la com seu perfeito irmão mais velho, a vida no colégio também não é fácil.

Com dificuldade em fazer amigos, Anna se vê presa em uma amizade forçada e uma série de inconstâncias ao vivenciar sua adolescência. Em uma idade de mudanças de paradigmas em sua vida, ela se sente sozinha: só quer escutar seus CDs e comer seus chocolates.

Tudo parece inalteradamente chato, até que ela reencontra Manu: uma amiga de infância que havia trocado de colégio. Junto com Manuela, vêm grandes descobertas, uma abertura de possibilidades, uma troca de expectativas e até, quem sabe, um primeiro e grande amor.


Minha opinião

Anna é uma adolescente que apenas quer ser uma adolescente. Ter um pouco de despreocupação, ouvir suas músicas favoritas sem ser julgada, poder comer seu chocolate e tomar um chocolate quente sem sentir culpa, conhecer lugares novos, sair, desbravar o mundo e assim conhecer mais sobre si.

No entanto, isso não é possível porque ela tem um pai ausente, que sempre usa o trabalho como desculpa, e uma mãe extremamente controladora, que vigia seus estudos, sua saídas e até sua alimentação. Sem contar o irmão mais velho, que além de implicante,  agora que está morando longe por causa da faculdade serve constantemente como comparação, visto que as notas de Anna não são tão perfeitas como as de Dimas era, ou seja, com pai e irmão distantes, todas as reclamações da mãe recaem em Anna.

Um belo dia, quando sua mãe lhe pede para comprar um remédio, Anna acaba se deparando com um lugar chamado "Terraço", atraída por toda sua atmosfera, cheia de adolescentes sendo adolescentes, Anna acaba entrando e se encantando. Mal sabe ela que mais a frente, um acontecimento nesse mesmo local mudaria tudo em sua vida.

A partir desse dia, ela fica mais instigada a explorar um pouco mais do mundo. É então que na estação de metrô, ela acaba reencontrando uma amiga de infância. Elas prontamente trocam números de telefone e combinam de não se separarem mais novamente.

Anna acha engraçado como Manuela consegue deixá-la tão à vontade como se nunca tivesse saído de seu lado, mas aos poucos percebe que há algo mais ali.

Manu,ela é um livro que traz a temática LGBTQIA+ com toda a inocência do descobrimento do primeiro amor. É inevitável não se vê suspirando e torcendo pelas duas.

As personagens são muito cativantes! Enquanto Anna é retraída, não liga muito para seu visual e de início é até um pouco antissocial, Manuela é desinibida, apaixonada por maquiagem e café, tem um sorriso fácil e consegue deixar Anna corada num piscar de olhos.

Marcos Gallão conseguiu trazer outras questões familiares no livro também, mostrando o quanto casais héteros acabam sobrevivendo de aparências e que cumplicidade e companheirismo nada tem a ver com orientação sexual.

Além disso, temos a parte de Dimas, onde o autor mostra que muitas vezes uma pessoa tende a compensar em certas áreas buscando a aprovação dos outros por pensar que elas não o aceitariam por ser simplesmente ser quem se é.

E o que dizer sobre essas artes dos cards, marcadores e do livro? Na foto da resenha mostro apenas a capa e um card, mas tem um vídeo no IGTV do blog mostrando todos os itens. Fiquei ainda mais feliz ao saber que foi o marido do autor que fez, então assim vocês podem perceber quanta dedicação e carinho foi colocado nessa obra.

Enfim, Manu, ela é um livro leve, rápido de se ler e recheado de aprendizado e reflexão que vai fazer você se apaixonar também. 

E aí? Pra você, qual o aroma do amor?

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

10 Comentários

In aleph charlie clássico daniel keyes drama editora aleph ficção científica flores para algernon

Resenha: Flores para Algernon - Daniel Keyes

Livro: Flores para Algernon
Autor: Daniel Keyes
Editora: Aleph
Páginas: 288
Nota:⭐⭐⭐⭐

Sinopse

Aos 32 anos, Charlie trabalha na padaria Donners, ganha 11 dólares por semana e
tem 68 de QI. Porém, uma cirurgia revolucionária promete aumentar a sua inteligência,
considerada gravemente baixa. O problema? Enxergar o mundo com outros olhos e
mente pode trazer sacrifícios para a sua própria realidade. E resta saber se Charlie
Gordon está disposto a fazê-los.

Minha opinião


Charlie não é tão esperto como gostaria de ser, ele sonha em ser inteligente e vê essa
oportunidade chegando quando é aprovado para participar de um experimento que
promete elevar muito seu grau de inteligência, mas será que isso também significa
elevar sua felicidade?

Flores para Algernon é um livro cheio de mensagens, questionamentos e reflexões, o
livro nos faz refletir em como a sociedade trata os deficientes intelectuais e como as
pessoas podem ser cruéis com as outras só por elas serem diferentes.

Charlie sempre acreditou que tivesse amigos que rissem com ele, mas no que o
experimento foi avançando e ele ficando mais esperto, descobriu que na verdade eles
riam dele e esse fato me fez refletir que às vezes permanecer na ignorância pode ser
mais saudável para a nossa mente, o famoso “o que os olhos não veem o coração não
sente”. 

Enfim, Flores para Algernon é um clássico de leitura obrigatória, é uma sensibilidade
enorme e ao contrário de alguns clássicos, tem a linguagem bem fluida. Recomendo
que leiam com uma caixa de lenços do lado.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

7 Comentários

In #acredite autora independente autora nacional autora parceira braites conto de fadas eliane quintella fantasia lalulis leia um nacional livro nacional romance the heartbreakers wattys 2018

Resenha: #Acredite - Eliane Quintella

Livro: #Acredite
Autora: Eliane Quintella
Editora: Independente
Páginas: 160
Nota:⭐⭐⭐⭐
Livro gentilmente cedido - Autora parceira

Sinopse

Existe um mundo mágico, mas seu povo é dividido de acordo com seus poderes. Braites são mágicos mais poderosos e dominam a energia da transformação. Lalulis conseguem fazer apenas as magias simples. Os Braites mantêm sua magia forte, pois cultivam a leveza, a harmonia e a alegria, já os Lalulis não são capazes de aumentar seu poder de magia, pois são pessimistas por natureza e preferem se deixar dominar por sentimentos pesados a serem fúteis como os Braites.
Nesse mundo dividido, Pamela, uma jovem braite, se apaixona por Raul, um Laluli. Porém, os dois acreditam que o amor é uma força poderosa e estão dispostos a desafiar a ordem das coisas ficando juntos.
O casal é submetido a duras provações que desafiam a força do amor e a crença que separa aquele mundo. Um livro que tem a força dos contos de fadas e nos inspira a acreditar em nós mesmos e na vida que nos cerca.

Minha opinião

Sabe aquela frase motivacional "Não sabendo que era impossível, foi lá e fez"? Ela descreve perfeitamente esse livro.

Braites e Lalulis crescem em povoados separados, convivendo juntos apenas na escola. Desde que nascem eles ouvem diversas regras sobre como deve ser um braite e como deve ser um laluli e porque não podem se relacionar.

O amor de uma braite e um laluli é proibido pois o laluli pode sugar a energia braite e o braite pode virar um simples humano, deixando de lado toda a sua magia poderosa, afinal de contas, lalulis são sérios demais a ponto de não conseguiram expressar seus sentimentos e braites não podem sofrer pois isso interfere na sua magia. Mas será mesmo?

A partir do momento que ouvimos constantemente que não somos capazes de algo, passamos a acreditar que aquele feito é impossível e nos limitamos. Mas o que pode ser maior que o amor e a fé em si mesmo?



#Acredite fala muito sobre o amor incondicional e sobre lutar contra tudo e todos pelos que amamos, mas fala também sobre acreditar. Muitas vezes nos colocamos limites por ouvir as opiniões alheias e não nos importarmos com o que nossa mente e coração nos dizem.

A autora conseguiu entregar um lindo conto de fadas, cheio de magia, fantasia e romance, mas sem deixar de lado uma reflexão e aprendizado para que nós, meros humanos, passemos a acreditar mais no nosso potencial e que a dor muitas vezes é necessária para nosso crescimento.

A edição é simplesmente linda! Eu, como grande amante da galáxia, amei essa capa e a ideia da hashtag que é utilizada em determinado trecho do livro. Um artifício moderno e que funciona tão bem no título quanto no enredo.

O livro possui ilustrações muito bem feitas em todos os capítulos, como vocês podem ver abaixo.


Enfim, #Acredite é um livro inspirador e apaixonante que eu recomendo fortemente para qualquer idade.

"A magia flui por nossas vidas. Basta estarmos abertos a acreditar."



Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

5 Comentários

In autor parceiro editora bestiário everton gullar lobo vermelho parceria trilogia capital

Resenha: Lobo Vermelho - Everton Gullar

Livro: Lobo Vermelho
Autor: Everton Gullar
Editora: Bestiário
Páginas: 154
Nota:⭐⭐⭐⭐
Livro digital - Autor parceiro

Sinopse

Depois do trabalho, sem dormir, Térbio só precisa parar na padaria da Velha. Pedir algo para comer, beber café e seguir até o terminal. Ir para casa, enfim. Já está amanhecendo. É dura a vida de vigia. Muitas noites em claro, fumando e caminhando, esperando o tempo se jogar pela janela. Não, ele não pode afirmar que odeia sua vida, mas está longe de ser instigadora. Sem emoção, sem exemplos, muito entediante. Contudo, Térbio não poderia prever que sua vida mudaria completamente, no caminho, até o terminal, se depara com um corpo dentro da imensa lixeira. Com cautela, vence o medo, se aproxima do corpo e percebe, é uma mulher, está ferida e que a pele suja de sangue e lama ainda mexe, no peito, movida por respiração. O corpo ainda tem vida! Ele está no meio da cidade, amanhecendo, com um corpo semimorto, com sono e exausto. O dia já não será mais o mesmo...

Minha opinião

Em Lobo Vermelho somos apresentados a Térbio, que tem sua vida mudada quando voltando para casa encontra o corpo de uma mulher jogado em uma lixeira, lutando contra todos os instintos ele resolve ajudar a moça, e nisso, sua vida muda em proporções que ele nem pode imaginar.

Após ajudar a mulher a se recuperar, Térbio acaba descobrindo um grande esquema de corrupção na política, e que ao livrar Telma da morte pode também está correndo perigo, já que agora ele é visto como um herói e seu rosto apareceu em vários canais de TV.

O rapaz tem um grande senso de justiça e para garantir a segurança de Telma, resolve ir atrás do político que encomendou a morte da moça, o que o leva a esbarrar na organização intitulada Assassinos de Anúbis, que não hesita em recrutá-lo, mas antes Térbio precisa resolver algumas questões de seu passado, iniciando assim a sua busca por redenção.

Everton nos apresenta a uma realidade que não é muito diferente da que vivemos hoje, cheia de corrupção e criminalidade, e nos mostra isso de forma crua, sem medir palavras para criticar a bagunça que está o cenário político atual. O livro de fato é um choque de realidade necessário a todo nós, além de uma leitura prazerosa, é também um meio de nos conscientizar para o que está acontecendo a nossa volta. Leitura mais do que recomendada.

“Lobo Vermelho” é um prelúdio do segundo volume da trilogia Capital, se passa no mesmo universo, paralelamente.

Você pode adquirir aqui.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

8 Comentários