Resenha: Cujo - Stephen King - Sobre a leitura

Resenha: Cujo - Stephen King

Livro: Cujo
Autor: Stephen King
Editora: Suma
Páginas: 376
Nota:⭐⭐⭐⭐
Livro escolhido do mês de Março na Leitura Coletiva Dark

Sinopse

Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial-killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Você pode me sentir mais perto… cada vez mais perto. Nos limites da cidade, Cujo – um são Bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber – se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde é mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesado de Tad Trenton e de sua mãe e como destrói a vida de todos a sua volta é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King.



Minha opinião

Eu não li muitos livros do King ainda, mas pelo que já li dele posso falar que o que faz tum autor tão brilhante é a riqueza nos detalhes. Stephen King descreve tudo bem e às vezes até podemos nos pegar pensando "nossa, mas pra quê ele tá falando isso sobre o personagem?", mas tudo tem um motivo.

Isso ajuda tanto na construção do personagem que quando menos percebemos estamos afeiçoados a eles porque a fórmula é bem simples: só acabamos desenvolvendo grande empatia e nos apegando se conhecemos o personagem, ou seja, se ele foi bem construído.

Eu já fiz uma resenha aqui de um outro livro de um outro autor, que prefiro não citar porque fui muito julgada, por não ter desenvolvido empatia com a personagem por ela não ter sido bem construída pelo autor e é óbvio que cada autor tem seus métodos mas leitores também têm e essa construção feita pelo King me agrada.

Dito isso, vamos falar do enredo. Cujo é um livro de 1981 e embora os casos de raiva sejam mais raros atualmente, King consegue criar um pavor inevitável ao utilizar uma doença real porque nos faz pensar que qualquer um está sujeito a se deparar com um cão raivoso.


O livro possui poucos cenários e o cenário principal, que é o carro pifado no quintal dos Camber (donos de Cujo), é tão bem trabalhado que por vezes sentimos a angústia, a esperança de sair logo do confinamento, o calor, a claustrofobia e os olhos do animal nos observando.

Os sentimentos quanto ao cachorro acabam sendo conflitantes. Ao mesmo tempo que queremos que as pessoas sobrevivam, Cujo não teve culpa. Ele apenas foi infeliz por ter sido infectado por uma doença tão cruel e devastadora.

É até curioso esse enjaulamento na luta pela vida fugindo do cão quando comumente o que acontece na vida real é justamente o animal ficar preso. Seja um cão em sua coleira ou um pássaro em uma gaiola.

Enfim, mais um trabalho brilhante e cativante do mestre do terror que por fim até lágrimas conseguiu me arrancar.

Como comentei no início, esse livro foi escolhido no mês de Março no grupo de Leitura Coletiva Dark. O livro recebeu pelos integrantes a média de nota 9,25.

Esse mês leremos "Em águias sombrias" da Paula Hawkings. Caso se interesse em fazer parte do grupo, envie um e-mail para sobrealeitura@hotmail.com que lhe enviarei o link do grupo no Whatsapp.

Por Amanda Rocha

Talvez você também goste

5 comentários

  1. Já ouvi uma resenha muito boa sobre esse livro, no YouTube e a sua parece me fazer querer lê-lo mais ainda haha
    Sim! Tenho que concordar (mesmo só tendo um livro do King, o mais novo: Outsider) que os personagens do mestre são muito bem construídos e que ele sabe fazer literatura do suspense às lágrimas.
    Bom fim de semana! Beijos

    https://www.rapeizedinamica.biz Um blog de entretenimentos digitais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lincoln!

      Fico feliz em saber que a resenha te despertou mais a curiosidade quanto ao livro.
      Vi que você tem "Outsider", caso ainda não tenha lido recomendo que leia antes a trilogia Bill Hodges, pois tem personagens da trilogia que retornam em "Outsider".
      A escrita do King é mesmo incrível, né?
      Obrigada pela sua visita!

      Beijos,
      Amanda
      Sobre a Leitura

      Excluir
  2. Estou com esse livro na minha lista de desejados, se tudo der certo, será uma de minhas leituras do mês de maio. Estou muito curioso para saber a história na íntegra e sua resenha só aguçou mais meu interesse. Achei o máximo a foto.

    ResponderExcluir
  3. Já li uns dois livros dele! E a riqueza dos detalhes é o que chama atenção, parece literalmente que estamos dentro do livro...
    Não costumo ler muitos livros desse gênero, meu gênero preferido são romances de época.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. O King tem uma coisa diferente dos outros, eu não curto muito o gênero, mas a riqueza de detalhes e o ritmo das suas tramas fazem você querer saber o que vem depois, mesmo sabendo que pode ser terrivelmente assustador rs.

    ResponderExcluir