Em bidu cachorro franjinha graphic msp graphic novel juntos maurício de sousa panini comics

Resenha: Bidu - Juntos de Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho

Livro: Bidu - Juntos
Autor: Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho
  Editora: Panini Comics
Páginas: 80
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

De repente, Bidu deixou as ruas e passou a ter um dono. Mas essa nova emocionante realidade vai trazer muitas dúvidas e problemas, tanto para ele quanto para o pequeno Franjinha. E é isso que os autores Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho contam em Juntos, mais uma divertida e emocionante Graphic do cãozinho azul criado por Mauricio de Sousa.

Minha opinião

Primeiramente quero comemorar a vitória de conseguir fazer meu cachorro aparecer em uma foto desse blog sem precisar tirar 50 fotos para selecionar uma única boa porque ele não para quieto.

Brincadeiras à parte, eu amo muito essa coisa fofa. E por conhecer de perto o amor por um canino que essa graphic novel se torna ainda mais especial.

Em Bidu - Juntos, vemos a adaptação de Bidu à Franjinha e vice-versa. As dificuldades iniciais de ensinar um cachorro o que ele pode ou não fazer e as reclamações dos pais quanto à dificuldade de adaptação.

E mais difícil que ensinar o comportamento dentro de casa é o momento da separação na hora de colocar o cachorrinho para se adaptar ao quintal.

Franjinha anota todo o comportamento de Bidu desde que ele chegou na sua casa e percebe o quanto a adaptação no quintal tem sido difícil...

Até que repentinamente Bidu parece mais animado, mas tem algo curioso aí. O que será que aconteceu ou apareceu no quintal que mudou o comportamento de Bidu tão drasticamente?

Mais uma vez uma graphic novel da Graphic MSP, selo do Maurício de Sousa produções, consegue me emocionar.

Bidu - Juntos é de uma sensibilidade tamanha e que nos mostra a pureza e persistência de uma criança que muitas vezes falta em nós adultos. E mostra também, claro, o amor incondicional de uma animal ao seu melhor amigo.

A edição é um show à parte. Arte impecável, impressão muito bem feita, bem colorida como vocês podem ver.


Recomendadíssima aos amantes de Turma da Mônica e Graphic Novel de todas as idades.

Você pode adquirir aqui.

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

3 Comentários

Em editora arqueiro james patterson liza marklund os assassinos dos cartão-postal suspense thriller

Resenha: Os assassinos do cartão-postal - James Patterson e Liza Marklund

Livro: Os assassinos do cartão-postal
Autores: James Patterson e Liza Marklund
  Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Uma viagem para conhecer as mais belas cidades da Europa é o sonho de qualquer pessoa. Porém, o detetive da NYPD Jacob Kanon não está interessado nos pontos turísticos. Após receber a notícia do brutal assassinato de sua filha e namorado, mortos em Roma, Kanon viaja para o Velho Continente para tentar juntar pistas sobre o crime que mudou sua vida.

E a onda de assassinatos está só começando: jovens casais são encontrados
mortos em Paris, Copenhague, Berlim e Estolcomo. Os crimes parecem não estar conectados, com exceção de um cartão-postal enviado para o jornal local da cidade de cada nova vítima. Quando a repórter sueca Dessie Larsson recebe um postal, Kanon junta forças com a jornalista e partem para o novo destino para tentar capturar o serial killer.

Minha opinião


Depois de perder sua filha e o genro em um crime brutal, o detetive Kanon viaja
para Roma para tentar pegar o assassino.

Na sua missão, o detetive descobre que tem um serial killer à solta matando jovens casais em várias cidades do mundo, e a única pista são cartões postais que são enviados para jornais a cada vitima feita.

Esse foi um dos primeiros livros de thriller que li, resolvi trazer resenha dele após tantos anos porque esse livro foi um divisor de águas na minha vida literária, foi um livro que definiu o tipo de livro que eu leria constantemente.

James Patterson tem uma escrita bem objetiva, ele apresenta todas as cartas e a ação fica por conta de perseguição do detetive em busca dos serial killers.

livro não tem grandes reviravoltas, mas mesmo assim é um livro ótimo para quem curte um bom thriller.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em a profecia apocalipse david seltzer maratona do desespero pronome interrogativo terror the omen

Resenha: A profecia - David Seltzer

Livro: A profecia
Autor: David Seltzer
  Editora: Círculo do Livro
Páginas: 204
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Jeremy Thorn e sua mulher Katherine recebem na maternidade a notícia de que seu filho nasceu morto, e são induzidos pelo Padre Spillietto a adotar um menino cuja mãe havia morrido de parto. Damien, a criança adotada, é na verdade o Anticristo profetizado pela bíblia, e tudo faz parte da trama de um grupo que tem pacto com o Diabo. Começa a ter lugar uma série de estranhos "acidentes" fatais envolvendo a vida dos Thorn.

Todo esse terror inexplicável se concentra em torno de seu filho Damien e seu estigma maligno. Uma narrativa surpreendente, que alcança um grau de emoção, mistério e suspense poucas vezes afligido por qualquer livro do gênero. Mantém o leitor eletrizado e preso nas malhas de uma intriga surpreendente e dramática.

Minha opinião

Lembra daquela criancinha arteira que você costuma chamar de "filho do demônio", pois bem, você nunca mais a chamará assim depois de conhecer Damien Thorn.

Jeremy Thorn e sua mulher, Katherine sonham em ter um filho. Depois de passar por dois abortos, finalmente Katherine consegue levar a gravidez até o fim. No entanto, surpreendentemente Jeremy recebe a notícia de que seu filho nasceu morto.

Um padre envolvido no parto diz que naquele mesmo local uma criança nasceu e sua mãe morreu no parto. Seria a chance da criança ter uma família e a esposa de Jeremy nunca precisaria saber que seu filho morreu, já que o bebê se parecia muito com eles, e aí que Jeremy abre as portas para que o mal se instale em sua família.

Já tinha ouvido falar muito sobre o filme adaptado desse livro apesar de nunca o ter assistido. Então, um belo dia pesquisando sobre terror me senti muito atraída por esse enredo e vendo que não o encontrava mais à venda, optei por comprá-lo em um sebo no estante virtual.

E até agora não entendo porque demorei tanto para o ler finalmente. Escolhi esse livro para as categorias "Um livro que você diz que sempre vai ler" e "Um livro clássico" da Maratona do Desespero da youtuber Thaís do Pronome Interrogativo e me surpreendi demais com ele.

Jeremy vai contar com a ajuda do fotógrafo Jennings, que fica assustado ao perceber um certo padrão de manchas nas fotos que tira de pessoas relacionadas à família Thorn, e do padre Tassone que esconde um segredo horripilante de seu passado, para desvendar porque o mal vem o seguindo. Quem é Damien? Quem era a mãe de Damien?

Eu não costumo sentir medo de livros de terror, mas devo dizer que as cenas mais tensas do livro são belamente descritas por David Seltzer as tornando extremamente chocantes e ele consegue deixar o leitor aflito conforme a profecia vai se concretizando e vamos acompanhando as coisas ruírem.

E vocês sabem como eu amo um enredo bem construído onde podemos ver que o escritor teve todo o trabalho da pesquisa para montar o livro. David traz alguns dados históricos e diversas passagens bíblicas que caem como uma luva tratando-se de um livro tão apocalíptico quanto esse.

Se o bem ou o mal venceu? Aí vocês terão que ler para conferir.

Recomendadíssimo para os amantes de terror.

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

3 Comentários

Em editora intrinseca john green resenha romance tartarugas até lá embaixo toc transtorno compulsivo obsessivo young adult

Resenha: Tartarugas até lá embaixo - John Green

Livro: Tartarugas até lá embaixo
Autor: John Green
  Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma  legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo.

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá- lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros  inesperados, fanfics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

Minha opinião

Aza Holmes está no auge da sua adolescência, mas ela está longe de ter uma vida normal.

Aza tem ansiedade e TOC, o que atrapalha muito sua interação com outras pessoas, um exemplo de pensamentos que povoam a cabeça de Aza é pensar que todo seu corpo será devorado por bactérias. Manter contado físico com outra pessoa? Nem pensar.

Daisy é a melhor amiga de Aza e envolve as duas em muita confusão quando descobre que um milionário sumiu e está sendo oferecida uma recompensa de 100 mil dólares para quem der informações que levem a ele.

A confusão é armada quando Daisy lembra que Aza conhece o filho do milionário – Davis-. Mesmo não tendo contato com Davis há anos, Aza resolve aceitar a aventura proposta por Daisy.

Eu já li 4 livros do John Green antes desse, mas nunca deixo de me surpreender em como a escrita de John Green é maravilhosa, e na minha opinião ele é um dos poucos escritores que sabe escrever sobre adolescentes sem deixar tudo chato.

Outra coisa incrível na escrita dele é a forma como ele nos faz submergir na história, essa em especifico é um retrato da vida do autor, que também tem TOC.  É incrível como ele consegue nos fazer sentir as mesmas agonias sentidas por Aza e primeiramente por ele em sua vida.

Tartarugas até lá embaixo é um livro primeiramente sobre amizade e superação pessoal, temos um toque de humor, mas John Green sempre coloca um pitada de humor ácido que é tão característico de sua escrita, então o livro não tem nenhum momento de melação.

Enfim, leiam esse livro.

Você pode adquiri-lo aqui.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em drama editora novo conceito gratuito história jardim de inverno kindle unlimited kristin hannah resenha

Resenha: Jardim de inverno - Kristin Hannah

Livro: Jardim de inverno
Autora: Kristin Hannah
  Editora: Novo Conceito
Páginas: 416
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas.

A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história.

Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são.

“Difícil não rir um tanto e chorar ainda mais com a história de mãe e filhas que se descobrem no último momento.”
– Publishers Weekly

A história que sua mãe conta é como nenhuma outra já ouvida por elas antes — uma história de amor cativante e misteriosa que dura mais de sessenta anos e parte da Leningrado congelada e devastada pela guerra até o Alasca, nos dias atuais. A obsessão de Nina por esconder a verdade as levará a uma inesperada jornada ao passado de sua mãe,  onde descobrirão um segredo tão chocante, que abala a estrutura da família e muda quem elas acreditam ser.


Minha opinião

Meredith e Nina Whiston não sabem porque sua mãe Anya sempre foi tão fria com as duas, mesmo quando elas eram ainda crianças.

As duas seguiram caminhos diferentes, Meredith ficou perto de casa pra cuidar da família e Nina viajou o mundo para seguir sua profissão de fotojornalista, mas quando o pai delas fica doente elas acabam tendo seus caminhos unidos novamente.

Durante esse tempo que as irmãs se juntam entre elas e também com sua mãe, aproveitam para tentar descobrir o motivo da frieza de sua mãe, visto que suas filhas já têm idade pra entender, Anya resolve abrir o jogo e surpreende a todos com uma linda e triste história de amor perdido.

O livro tem uma grande carga emocional, se trata de um drama com um final muito surpreendente, além de trazer uma grande lição, o livro também tem uma carga histórica. Leitura perfeita pra quem adora um drama.

Você pode adquirir o livro gratuitamente aqui, caso tenha Kindle Unlimited.

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

2 Comentários

Em faro editorial faroniacos marcos debrito marcus barcelos resenha rodrigo de oliveira terror psicológico tiago toy victor bonini vozes do joelma

Resenha: Vozes do Joelma - Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos, Victor Bonini e Tiago Toy

Livro: Vozes do Joelma
Autores: Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcellos, Victor Bonini e apresentação de Tiago Toy
  Editora: Faro Editorial
Páginas: 288
Nota:⭐⭐⭐

Sinopse

Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini são autores reconhecidos pela crueldade de seus personagens e grandes reviravoltas nas narrativas.

As mentes doentias por trás dos livros A Casa dos Pesadelos, O Escravo de Capela, Dança da Escuridão, Horror na Colina de Darrington, Quando ela desaparecer, O Casamento, Colega de Quarto, e da série As Crônicas dos Mortos, se uniram para criar versões perturbadoras sobre as tragédias que ocorreram em um terreno amaldiçoado, e convidaram o igualmente perverso Tiago Toy para se juntar na tarefa de despir os homicídios, acidentes e assombrações que permeiam um dos principais desastres brasileiros: o incêndio do edifício Joelma.

O trágico acontecimento deixou quase 200 mortos e mais de 300 feridos, além de ganhar as manchetes da época e selar o local com uma aura de maldição. Esse fato até hoje ecoa em boatos fantasmagóricos que envolvem a presença de espíritos inquietos nos corredores do prédio e lendas sobre lamúrias vindas dos túmulos onde corpos carbonizados foram enterrados sem identificação.

Algo que nem todos sabem, é que muito antes do Joelma arder em chamas no centro de São Paulo, o terreno já havia sido palco de um crime hediondo, no qual um homem matou a mãe e as irmãs e as enterrou no próprio jardim.

Devido às recorrentes tragédias que marcaram o local, há quem diga que ele é assombrado por ter servido como pelourinho, onde escravos eram torturados e executados. E sua maldição já fora identificada pelos índios, que deram-lhe o nome de Anhangabaú: águas do mal. Se as histórias são verdadeiras não se sabe... 

A única certeza é que a região onde ocorreu o incêndio tornou-se uma mina inesgotável de mistérios. E, neste livro, alguns deles estão expostos à loucura de autores que buscaram uma explicação.


Minha opinião

Quem me conhece sabe que sou muito fã de terror psicológico e suspense. Conheci o trabalho do Marcos DeBrito esse ano com o livro "A casa dos pesadelos", tive a oportunidade de conhecê-lo na Bienal e virei fã.

Assim que vi esse lançamento lá, já fiquei muito instigada porque a tragédia do Edifício Joelma é uma das mais chocantes que ocorreram no Brasil e que eu e Priscila já conversamos algumas vezes sobre.

Então quando surgiu a ideia de criar o fã-clube e leitura coletiva da Faro Editorial com a Ana do Café com Leitura, a Fernanda do Conduta Literária e o Gustavo do Leitura Enigmática, o Faroníacos, a escolha foi unânime: a primeira leitura seria Vozes do Joelma.

E que livrão, minha gente! Os contos se baseiam em fatos reais envolvendo o Edifício Joelma, com exceção do último, que é do Victor Bonini.

O primeiro conto, "Os mortos não perdoam", do autor Marcos DeBrito, fala sobre o Crime do Poço, um crime bem chocante que ocorreu em 1948 e chocou pela frieza e banalidade do motivo pelo qual levou um professor da USP matar suas irmãs e sua mãe e enterrar no poço de casa. Esse endereço, mais tarde, viria a ser do Edifício Joelma.

O segundo conto, "Nos deixem queimar", escrito pelo autor Rodrigo de Oliveira, fala um pouco do dia da tragédia usando artifícios sobrenaturais para deixar o clima ainda mais angustiante.

O terceiro conto, "Os treze", do autor Marcus Barcelos, fala um pouco sobre o mistério das 13 almas, que basicamente envolve relatos de pessoas que ouvem manifestações no cemitério onde estão enterradas as 13 pessoas não identificadas que morreram dentro do elevador do Edifício Joelma quando tentavam se salvar das chamas. Por já se tratar de um caso bem sobrenatural, o conto traz uma carga mais dramática.

O quarto e último conto, "Homem na escada", do autor Victor Bonini fala de um possível sobrevivente vivendo no Edifício Joelma em tempos futuros do dia da tragédia e um caso envolvendo mortes misteriosas.

Todos os contos foram brilhantemente desenvolvidos e não sei se deixei meu lado fã falar mais alto, mas meu conto favorito foi o do Marcos DeBrito. No entanto, é bom ressaltar que todos souberam muito bem trazer o sobrenatural com maestria e que mais uma vez afirmo que o terror/suspense nacional está em ótimas mãos.

E o que falar das introduções do Tiago Toy? O autor soube trazer o tom de cada conto, fazendo com que já iniciássemos a leitura cheios de expectativas. Foi meu primeiro contato com o autor e mesmo que sendo bem breve, já pude perceber a qualidade da escrita dele.

E gente, o que falar desse debate que tivemos no Faroníacos? Foi simplesmente memorável! Contamos com a presença do Tiago Toy e Marcus Barcelos que foram super solícitos e tiraram várias dúvidas do pessoal. Falamos sobre planos futuros, repercussão da obra, enfim, "Só quem viveu sabe, Gabi".

Quer participar dos próximos debates e leituras coletivas? Procure a gente no Faroníacos.

Você pode adquirir o livro aqui.

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

1 Comentários