Resenha: O homem de Giz - C.J. Tudor

Livro: O homem de giz
Autora: C.J. Tudor
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Nota: 3/5

Sinopse


Em 1986, Eddie e os amigos passam a maior parte dos dias andando de bicicleta pela pacata vizinhança em busca de aventuras. Os desenhos a giz são seu código secreto: homenzinhos rabiscados no asfalto; mensagens que só eles entendem. Mas um desenho misterioso leva o grupo de crianças até um corpo desmembrado e espalhado em um bosque. Depois disso, nada mais é como antes. Em 2016, Eddie se esforça para superar o passado, até que um dia ele e os amigos de infância recebem um mesmo aviso: o desenho de um homem de giz enforcado. Quando um dos amigos aparece morto, Eddie tem certeza de que precisa descobrir o que de fato aconteceu trinta anos atrás.


Minha opinião

O homem de giz foi nossa leitura conjunta de Setembro.
O ano ainda nem acabou, mas podemos falar com tranquilidade que esse livro foi uma de nossas decepções literárias desse ano.

O livro é narrado em primeira pessoa por Eddie, o que nos dá um olhar bem pessoal sobre os acontecimentos. O livro tinha tudo para ser ótimo, mas a autora parece que no lugar de tentar escrever algo original, tenta recriar outra obra.



Quando eu estava lendo O homem de giz, tive a impressão de estar lendo It do Stephen King novamente, só que não tão bem escrito. E como a escritora é fã assumida do autor, às vezes chega a ser incômodo. Ficamos com aquela sensação de "Até quando podemos considerar como homenagem e não plágio?"

A autora não sabe conduzir o mistério. A narrativa acaba sendo cansativa e o final vem sem emoção alguma com um plot twist que não funciona e acaba não surpreendendo.

O homem de giz é um livro que tem uma premissa interessante e que fosse bem conduzido seria um maravilhosa estreia para C.J. Tudor, e o iniciamos com boas expectativas até, mas não deu certo pra gente.

Por Amanda Rocha e Priscila Biancardi

Talvez você também goste

4 comentários

  1. Gente, será que só eu gostei?! kkk
    Você não é a primeira pessoa que diz isso! Fiz resenha no blog e super elogiei! Um beijo, amiga! Estava devendo visitas! Adorando estar por aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente foi uma decepção pra gente. Não sei se porque estamos acostumados com o ritmo dos thrillers que acabamos nos frustando mas gostos são diferentes, né, minha amiga? Por isso sempre incentivo que leem para tirar suas próprias conclusões. Fico feliz que tenha dado certo pra você!

      Excluir
  2. Esse livro está na minha lista de leitura tem um tempinho, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Pelo resumo é bem o tipo de história que atrai minha atenção. E a cada resenha que leio sobre ele fico mais surpresa. Isso porque a maioria delas fala sobre esse semelhança com It (que, aliás, é um dos meu livros preferidos do King) mas enquanto tem gente que amou tem gente que odiou. Tenho visto opiniões bem 8 ou 80, ou as pessoas acham que foi uma "cópia" mal feita de It ou elogiam a forma como a autora conseguiu prestar uma homenagem de forma original. Enfim, isso só aumenta a minha curiosidade e espero poder ler em breve e formar minha própria opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu sempre digo para as pessoas que elas devem ler para ter sua própria opinião, pois esse livro divide muito as opiniões. Alguns amam, outros odeiam.

      Excluir