Resenha: Criança 44 - Tom Rob Smith


Livro: Criança 44
Autora: Tom Rob Smith
Editora: Record
Páginas: 434
Nota: 5/5

Sinopse

União Soviética, 1953. A mão de ferro de Stalin nunca esteve tão impiedosa. Em seu governo, o líder opressor faz o povo acreditar que o país está livre dos crimes. Mas quando um corpo de um menino é encontrado nos trilhos de uma ferrovia, o agente Liev Demidov se surpreende ao saber que houve um assassinato. Demidov recebe ordens para ignorar o caso, mas se vê determinado a ir atrás do caso, mesmo sabendo que poderá se tornar um inimigo do Estado.

Minha opinião

Esse é o romance de estreia do inglês Tom R. Smith. É também o primeiro da série Liev Demidov que conta com mais 2 livros: O discurso secreto e Agente 6.
Publicado em 2008, levou o prêmio Ian Fleming Steel Dagger Award, da Crime Writer’s Association de melhor aventura/thriller de 2008, foi também adaptado para o cinema em 2015 com grandes nomes como Gary Oldman e Tom Hardy.

O contexto histórico desse livro já é um ponto positivo que eleva a qualidade da trama: URSS no período pós segunda guerra mundial.
Stalin é conhecido por sua “mão de ferro” e se recusa a admitir a falência moral e financeira da nação. As polícias secretas do estado ficaram com a missão de fazer essa imagem da União Soviética através de algumas ações bastante questionáveis: nenhum crime é cometido por um cidadão soviético, a resolução deles é sempre incontestável e conseguida por meios não tão incontestáveis, a tortura é uma pratica muito comum e a homossexualidade é considerada uma doença

Os “criminosos” são, na sua totalidade, pacientes psiquiátricos, gays e traidores, a ideia de uma epidemia capitalista que subverte a ordem soviética é espalhada pelo país pra explicar as falhas do sistema, o clima de tensão é acrescido de uma paranoia que Stalin alimenta sobre espionagem, e nós nem estamos falando sobre ficção ainda.

Liev Demidov é um oficial da KGB encarregado de encontrar e prender pessoas acusadas de traição e espionagem. Sua função traz alguns confortos e benefícios, como poder oferecer uma vida de luxos que poucas pessoas tem aos seus pais e esposa, Raissa Demidov, com quem tem um casamento maravilhoso aos seus olhos até descobrir o seu verdadeiro papel na vida de Raissa.

A vida de Liev muda drasticamente quando uma criança é encontrada morta nos trilhos da ferrovia e, embora nenhuma prova leve a crer que seja um crime sexual, ele é rapidamente atribuído a um operador ferroviário homossexual. Então Liev é enviado para informar a família da criança, seus amigos, o resultado questionável das investigações, esse encontro gera dúvidas e toda certeza que Liev tem sobre o sistema são abaladas.

Assim começa a procura pelo Estripador de Rostov, uma história real que abalou a estrutura do sistema soviético e levou ao conhecimento do mundo toda sujeira que Stalin tentou jogar pra de baixo do tapete.

Não à toa foi considerado o melhor Thriller de 2008, todo pano de fundo da trama é muito bem aproveitado, o livro é repleto de cenas de ação muito bem escritas, as personagens são muito bem construídas, o leitor oscila entre amar e odiar Liev durante todas as 434 páginas.

Embora existam mais dois livros que trazem o protagonista, essa história é muito bem encerrada, deixando um gancho que só é perceptível depois que se lê a sequência, O discurso secreto, mas que é magistral. Sou fã do autor e trago Liev e Raissa entre meus personagens favoritas.

Por Maira Marini

Talvez você também goste

2 comentários

  1. Belíssima resenha! Amei a proposta do livro! De verdade, me cativou! Parece uma história bem forte! Parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir