Em a capela autor parceiro jhefferson passos mês do terror resenha Resenhas terror terror psicológico

Resenha: A capela - Jhefferson Passos


Livro: A capela
Autor: Jhefferson Passos
Editora: Amazon
Páginas: 91
Nota: 5/5

Sinopse

EXISTE UM MAL. ESTÁ FAMINTO. E QUER DEVORAR SEUS PECADOS... O que é a fé para uma pessoa que deixou de acreditar em quase tudo? Anna tem uma caixa de pandora em seu coração. Lembranças negadas, mas jamais esquecidas. E o que seria uma simples curtição com os amigos, torna-se a chave que irá abrir essa caixa, libertando tudo que estava contido. Anna e seus amigos não lembram como e quando chegaram naquele velha e abandonada Capela. E eles não podem sair. Há algo do lado de fora da capela que caminha entre o canavial. Um mal. Algo que eles não conseguem ver, mas está presente e pior: sabe de seus segredos inconfessáveis. E você? Tem fé?



Minha opinião

A capela gira em torno de Anna e Marcelo, que se veem presos em um lugar nada santo, como se pensa que é uma capela, muito pelo contrário.

A narrativa de Jhefferson é extremamente envolvente e nos faz sentir exatamente o que Anna e Marcelo sentem, e faz o leitor se questionar: "O que faríamos se estivéssemos no lugar deles?".

Confinados em um lugar maligno sem poder sair porque algo desconhecido está a espreita. Tendo que resistir à fome, frio, sede, sono, medo do que possa estar a vir e tendo que lidar com a personalidade de cada um ali.


O ponto alto desse livro e que Jhefferson soube explorar muito bem é a perda da sanidade dos personagens, o livro tem um alto teor de terror psicológico, que é o que mais me atrai e também o mais difícil de escrever, o autor explora todos os segredos mais sórdidos dos personagens enquanto eles lutam pela sobrevivência.

Para finalizar convidando-os a conhecer A capela, lhe deixo uma reflexão:

Será que sua fé é suficiente para lhe salvar?
Tem certeza que sua vida é um livro aberto?

Por Amanda Rocha e Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em a longa marcha distopia mês do terror richard bachman stephen king terror

Resenha: A longa marcha - Stephen King




Livro: A Longa Marcha
Autor: Stephen King
Editora: Sem Editora
Páginas: 244
Nota: 5/5

Sinopse

Em um futuro próximo, onde os Estados Unidos se tornou um estado militar, cem garotos são selecionados para entrar em uma competição anual, onde o vencedor é premiado com o que ele desejar, para o resto de sua vida. As regras são simples: manter um ritmo de marcha constante, de seis quilômetros por hora, sem parar. Três advertências, e você está fora, permanentemente.




Minha opinião


Esse livro foi uma recomendação de um amigo com quem divido meu gosto peculiar pela leitura de livros fortes e marcantes, aquela pessoa que nunca erra uma indicação, a primeira coisa que ele me disse é que tinha redescoberto o prazer pelas distopias, estávamos bastante desanimados com as distopias atuais pela receita previsível que a maioria trazia na trama e a falta de profundidade das personagens e histórias, mas nossas esperanças foram restabelecidas com esse livro.
É o segundo de 7 livros escritos sob o pseudônimo de Richard Bachman, publicado originalmente em 1979, foi traduzido no Brasil só em 1992 na coletânea Os livros de Bachman, pela Francisco Alves e nunca mais teve outra edição, por isso é tão difícil de encontrar e tão caro.
A premissa não é muito animadora, 100 adolescentes andando, mas nas mãos do King se tornou uma historia cruel e reflexiva, conhecer as motivações dos participantes desse reality show de horror aproxima o leitor, é impossível não desenvolver simpatia por eles, ao longo da caminhada sua vida é exposta, suas convicções são questionadas, sua fé é abalada, seja fé religiosa ou em seu próprio potencial, nesse livro, Stephen King traz questões existenciais para o leitor através dos competidores, você se pega refletindo sobre a ganância e tudo que você faria pra alcançar seus objetivos, realizar seus desejos, por quem você faria tudo e por cima de quem você passaria para completar seus objetivos, essa última questão muitas vezes tem uma resposta aterrorizante: por cima de si mesmo.
Além de abordar a vida e as motivações das personagens, King mostra uma terrível percepção de todos nós enquanto espectadores das tragédias humanas, todo o nosso prazer em assistir a pior versão dos outros seres humanos confinados e colocados em situações extremas, nossa ânsia pelo próximo eliminado, o partido que tomamos por um ou outro competidor que acabamos de conhecer a existência, todo julgamento que proferimos sem contexto algum, apenas aqueles minutos diários mostrados na televisão, o quanto pagamos pelo desespero alheio e por uma migalha do que restar dessas pessoas completamente desumanizadas e despidas de da sua própria segurança, tudo isso jogado na nossa cara, como um balde de água gelada pra nos mostrar o que nos tornamos quando buscamos divertimento a qualquer custo.
Um livro sensacional que traz tantos diferentes temas em apenas 244 páginas de forma crua e dura, é aterrorizante, frio, calculado palavra a palavra para fazer o leitor imergir na dor dos concorrentes e o final é um show a parte.

Por Maira Marini

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em a estrada da noite craddock mcdermott joe hill judas coyne mês do terror resenha Resenhas terror

Resenha: A estrada da noite - Joe Hill



Livro: A estrada da noite
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Nota: 5/5

Sinopse


Uma lenda do rock pesado, o cinquentão Judas Coyne coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta. "Vou 'vender' o fantasma do meu padrasto pelo lance mais alto..." Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Sempre às voltas com seus próprios fantasmas - o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu -, Jude não tem medo de encarar mais um. Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora. O espírito parece estar em todos os lugares, à espreita, balançando na mão cadavérica uma lâmina reluzente - verdadeira sentença de morte. O roqueiro logo descobre que o fantasma não entrou na sua vida por acaso e só sairá dela depois de se vingar. O morto é Craddock McDermott, o padrasto de uma fã que cometeu suicídio depois de ser abandonada por Jude. Numa corrida desesperada para salvar sua vida, Jude faz as malas e cai na estrada com sua jovem namorada gótica. Durante a perseguição implacável do fantasma, o astro do rock é obrigado a enfrentar seu passado em busca de uma saída para o futuro. As verdadeiras motivações de vivos e mortos vão se revelando pouco a pouco em A estrada da noite - e nada é exatamente o que parece.



Minha opinião

O ditado "Filho de peixe, peixinho é" se encaixa perfeitamente aqui. Para quem não sabe, Joe Hill é filho de Stephen King.

A estrada da noite foi um dos poucos livros que eu li que realmente me deram medo, lembro que quando li (já faz um tempo) ficava olhando pra todos os lados dentro do quarto, até cheguei ao ponto de não ler a noite.

Joe sabe bem trazer à tona o medo que a maioria de nós temos do sobrenatural... Ter um espírito vingador na sua casa e não saber o que fazer. Acho que o que eu mais gosto no livro é o fato de Jude, o personagem principal, ser um astro do Rock. Eu aprendi a gostar muito desse tipo de cenário, porque é algo que também é bastante presente nos livros do King.

Para finalizar essa resenha compacta, A estrada da noite é o livro certo pra quem gosta de sentir uns arrepios enquanto lê.

Por Priscila Biancardi 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

1 Comentários

Em assustador chocante contos mês do terror o vilarejo Raphael montes resenha Resenhas surpreendente terror

Resenha: O vilarejo - Raphael Montes


Livro: O vilarejo
Autor: Raphael Montes
Editora: Suma
Páginas: 96
Nota: 5/5

Sinopse


Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.
As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.
No vilarejo, falar que o pecado mora ao lado é mais do que um dito popular: é uma grande verdade ameaçadora da qual os moradores se dão conta pouco a pouco. E, para alguns, é tarde demais. Como resistir ao mal? à luxúria, à ganância, à ira? Como não ceder aos pecados da carne quando o frio castiga, quando o frio e a fome tomam conta, quando uma força maior parece conspirar e rodear os moradores para que eles se entreguem a seus piores instintos.
          A cada capítulo, conheça a história de um habitante, e como todas elas se entrelaçam para formar uma narrativa perturbadora e fascinante sobre nossa infinita capacidade de crueldade e compaixão.
          Em narrativas que exploram as profundezas mais sombrias da alma humana, Raphael Montes narra com destreza a velha disputa entre o bem e o mal, a vida e a morte, a tentação e a salvação.           
Descubra o que acontece no vilarejo quando a noite cai, as portas se fecham, e sua única companhia - e seu maior inimigo - é você mesmo.



Minha opinião

Apesar da sinopse dizer que os contos podem ser lidos em qualquer ordem, eu prefiro dizer que leiam na ordem para que não corram o risco de iniciar pelo último conto pois o mesmo traz a conclusão que, como em qualquer livro do Raphael, nunca estamos preparados para ela.
O livro é composto por sete contos que levam o nome de sete demônios referindo-se aos sete pecados capitais.
Montes nos mostra o pior do ser humano, a essência do mal que desperta em momentos de insanidade.
Até que ponto uma pessoa má consegue mascarar sua índole? Será que quando ela está no auge da fome? Será que quando ela cansou de não ser notada? Será que quando ela cansou de ser humilhada? E será que seus atos depois lhe causam alguma repulsa? Algum lampejo de arrependimento? Ou os fins justificam os meios?
Raphael traz mais uma vez uma atmosfera assustadora e chocante, e mesmo sendo um livro curto de contos no qual achamos que o final será aberto ou não ligará os pontos, erramos. O prefácio, os contos, o posfácio, tudo se interliga. Lembro de ter sentido um arrepio ao chegar na última página e o quebra cabeça se formar em minha mente.
Enfim, sei que acabo tendendo às mesmas palavras ao falar sobre os livros do Raphael, mas não há outra palavra além de surpreendente para descrever.
O trabalho visual feito no livro é impecável também. As ilustrações presentes em cada conto, as páginas com sangue... Elas acrescentam elementos à leitura sem podar a imaginação do leitor.
Um livro de terror completo e que não deixa a desejar em nada.
Se você é fã de terror, não se incomoda com descrições fortes com riqueza de detalhes ou estar afim de ler algo totalmente fora da sua zona de conforto, esse é o livro.

Por Amanda Rocha 

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

4 Comentários

Em adaptações biografia capas cinema curso de escrita dossiê espinosa livros musical novidades praça paris Raphael montes Resenhas série supermax teatro tv

Dossiê: Raphael Montes


Se não bastasse ontem ter sido o aniversário de Stephen King, hoje é aniversário do
nosso autor nacional favorito. Aos 28 anos, Raphael Montes de Carvalho impressiona
qualquer um.
Com apenas quatro livros lançados, apostando em temas controversos e finais de deixar o queixo caído, o autor já é conhecido mundialmente.

Biografia

É formado em Direito pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro.
Raphael Montes ama música. Toca saxofone desde os 13 anos.
O autor é noveleiro assumido, cresceu vendo novelas e colaborou com o roteiro
de A regra do jogo e sonha em se aventurar mais nessa área ou em uma série.
Foi colunista do jornal O globo de 2015 à fevereiro de 2018.
O autor foi escolhido como patrono da Loja Saraiva presente no Recreio Shopping
no Rio de Janeiro.
É fã assumido de Stephen King e eu, como fã de ambos, consigo ver algumas
influências e até referências nos livros de Raphael.

Livros

2012 - "Suicidas" - Benvirá/Saraiva (tem resenha aqui)
2014 - "Dias Perfeitos" - Companhia das Letras (tem resenha aqui)
2015 - "vilarejo" - Suma das Letras
2016 - "Jantar Secreto" - Companhia das Letras (tem resenha aqui e curiosidades aqui)

Teatro

"Suicidas" virou peça de teatro com o nome de "Roleta Russa" , Dias perfeitos também foi adaptado para os palcos. No entanto, apenas os direitos de ambos foram cedidos, não contando com a presença do autor na realização de ambas. Já no musical Jantar Secreto o autor participou ativamente no desenvolvimento.


Imagens por: @espetaculoroletarussa, @espetaculodiasperfeitos e @deborareis.x


Telinhas e telonas

Além de colaborar no roteiro de A regra do jogo, Montes colaborou no roteiro de
Espinosa  (GNT-2015) e Supermax (Globo 2015-2016) que ganhou uma versão espanhola também.
Raphael também é o corroteirista do filme Praça Paris que esteve nos cinemas em
abril desse ano.

O autor também é o responsável pelo roteiro sobre "Suzane Von Richthofen" juntamente com Ilana Casoy.

Sucesso internacional
O autor possui livros traduzidos para mais de vinte países. O mais famoso
internacionalmente é Dias perfeitos. Abaixo você pode conferir algumas capas.

Dias perfeitos





Jantar Secreto

























Novidades

Raphael Montes está finalizando seu novo suspense psicológico, que estreia em Novembro
com o título “Uma mulher no escuro”. O livro será protagonizado por uma mulher
chamada Victória que aos 4 anos se tornou a única sobrevivente da sua família,
que fora brutalmente assassinada por um aluno da escola cujo seus pais eram
donos. 20 anos depois da tragédia, ela convive com três homens e mal sabe que o
assassino está entre eles. Qual dos três é o assassino? Por que ele não a matou
antes e agora retornou?



Ensino

O autor criou um curso online sobre escrita com os métodos que foi desenvolvendo ao
longo da sua vida. Nele, Raphael revela os segredos por trás da construção de
seus romances e ensina as ferramentas necessárias na elaboração de um livro,
além de apontar os vícios comuns de autores iniciantes. Ao longo das
videoaulas, Raphael aborda os mais diversos aspectos da ficção (estilo, tema,
estrutura, personagem, diálogo, descrição, ponto de vista, entre outros) e
inclui dicas pessoais que ajudarão a colocar ideias no papel e escrever um
grande romance.

Caso se interessem pelas obras do autor, você pode adquiri-las aqui

Por Amanda Rocha

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em adaptações biografia curiosidades dossiê livros obras richard bachman stephen king

Dossiê: Stephen King




Setembro é o mês do terror aqui, mas não é por coincidência, já que é aniversário do Rei do terror, então por isso resolvemos trazer um breve dossiê sobre o Mestre que hoje completa 71 anos.

Uma breve biografia

Stephen King nasceu em 21 de setembro de 1947, em Portland no Maine. É um dos maiores escritores da atualidade com quase 100 livros publicados, é mais conhecido por seus livros de terror, mas já publicou livros em outros gêneros, como drama e fantasia, exemplos disso são: À espera de um milagre e O talismã.

Obras mais aclamadas

Agora vamos citar algumas dos maiores trabalhos de Stephen King (em minha opinião)

Romance

- Carrie, a estranha ( 1974)
- O iluminado (1977)
- Christine (1983)
- O cemitério (1983)
- It, a coisa (1986)
- Conta comigo (1986)
- Misery (1987)
- A espera de um milagre (1996)
- Trilogia do Bill Hodges (2014 – 2016)
- Outsider (2018)

Contos

- Quatro estações (1982)
- Tripulação de esqueletos (1985)
- Escuridão total sem estrelas (2010)

Série A Torre Negra (1982 a 2012)

Sob o pseudônimo de Richard Bachman

- A maldição do cigano (1984)

Principais adaptações (em minha opinião)

- Carrie (1976)
- O iluminado (1980) (não podemos dizer com certeza se o filme foi baseado no livro)
- Christine (1983)
- Conta comigo (1986)
- O cemitério maldito (1989)
- It, uma obra prima do medo (1990)
- Louca obsessão (1990)
- A espera de um milagre (1999)
- O nevoeiro (2007)
- It (2017)
- Mr. Mercedes (2017)

Algumas curiosidades

- Stephen, sua mãe e seu irmão foram abandonados pelo seu pai quando o escritor tinha apenas 2 anos, sendo assim criado apenas pela mãe.

- Quando estava escrevendo Carrie, não estava ficando satisfeito e jogou o rascunho fora, mas sua esposa Tabitha, viu os rascunhos, leu e não deixou que ele desistisse (obrigada, Tabitha)

- Antes de seguir a carreira de escritor, era professor de inglês.
- Durante muito tempo foi viciado em drogas e em álcool e diz que baseou Jack Torrance (O Iluminado) em si mesmo.

- Em 1999 King foi atropelado e ficou em estado gravíssimo, sofreu traumatismo craniano e varias fraturas, mas passou por cirurgias e se recuperou em alguns meses. Esse acidente o inspirou a escrever o livro Love, A historia de Lisey.

Então, leitores, esperamos que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre Stephen King, já que vivemos falando dele aqui haha.


Por Priscila Biancardi





Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

15 Comentários

Em bill hodges editora suma mês do terror outsider resenha Resenhas stephen king suspense terror terry maitland

Resenha: Outsider - Stephen King



Livro: Outsider
Autor: Stephen King
Editora: Suma
Páginas: 528
Nota: 5/5

Sinopse

O corpo de um menino de onze anos é encontrado abandonado no parque de Flint City, brutalmente assassinado. Testemunhas e impressões digitais apontam o criminoso como uma das figuras mais conhecidas da cidade — Terry Maitland, treinador da Liga Infantil de beisebol, professor de inglês, casado e pai de duas filhas. O detetive Ralph Anderson não hesita em ordenar uma prisão rápida e bastante pública, fazendo com que em pouco tempo toda a cidade saiba que o Treinador T é o principal suspeito do crime. Maitland tem um álibi, mas Anderson e o promotor público logo têm amostras de DNA para corroborar a acusação. O caso parece resolvido. Mas conforme a investigação se desenrola, a história se transforma em uma montanha-russa, cheia de tensão e suspense. Terry Maitland parece ser uma boa pessoa, mas será que isso não passa de uma máscara? A aterrorizante resposta é o que faz desta uma das histórias mais perturbadoras de Stephen King.

Minha opinião

Outsider é o mais novo lançamento de Stephen King e mostra que o escritor está mais em forma do que nunca, Outsider é a volta de King às origens.

O livro já começa com uma narrativa bem agitada, o que não é tão comum nos livros do King. Ao longo da narrativa somos levados para dentro da narrativa, como se estivéssemos dentro do livro, o que é bem comum nos livros do King.

Quem conhece as obras do autor sabe que ele é deveras detalhista, mas em Outsider é isso que faz a diferença: os detalhes. Quando eu estava lendo fiquei maluca fazendo várias teorias de como é possível que alguém esteja em dois lugares ao mesmo tempo. King segura o suspense até o final, nós só descobrimos o que aconteceu quando ele quer.

Um dos maiores pontos positivos nesse livro e em vários outros do King são os personagens, eu sempre me surpreendo com a habilidade dele em criar personagens que cativam a gente, durante a leitura eu me imaginei tomando café com os personagens haha.

Em Outsider, King definitivamente mostra que não perdeu a mão com o passar da idade, sem dúvida é um livro que merece um lugar no meu top 10 dos livros do King.

[Alerta: Outsider se passa após a trilogia do Bill Hodges, portanto possui muito spoilers da trilogia.]

Por Priscila Biancardi

Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários

Em a incendiária adaptações doutor sono editora suma futuras it a coisa media rights capital o cemitério outsider stephen king

Especial: Próximas adaptações de obras do Stephen King




Fala galera, e aí? Tudo beleza?



Não é segredo para ninguém que Stephen King é muito querido aqui na Redação do Sobre a Leitura – e de muitos outros leitores e estúdios por aí. Depois do lançamento de IT: A Coisa, outros projetos do autor foram escolhidos para virarem filmes ou séries de TV.
Preparamos uma lista para vocês ficarem ligados nas próximas adaptações do Rei.

IT: A Coisa – Capitulo 2


Depois do primeiro encontro com o palhaço maligno, o Clube dos Otários voltará a Derry para o confronto final. 27 anos depois, todos adultos, irão confrontar Pennywise pela última vez. James McAvoy, Jessica Chastain e Bill Harder estão no elenco do filme que estreia no dia 5 de setembro de 2019.

A Incendiária


Imagem do pôster da adaptação de 1984



Lançado em 1980, a história do livro gira em torno de um casal que participou de um experimento do governo que modificou seus genes. Anos depois, eles descobrem que a filha é capaz de criar incêndios sempre que desejar. Fatih Akin irá dirigir o longa que ainda não tem data de estreia. Scott Teems da série Narcos irá cuidar do roteiro.

O Cemitério

Imagem da adaptação de 1989



O Cemitério é um livro de 1983 que mostra a rotina de uma família que se muda para uma casa construída perto de um cemitério indígena que pode reviver os mortos. Após uma tragédia, Louis Creed ficará descontrolado. O filme, que já possui uma adaptação de 1989, terá Jason Clarke e John Lithgow no elenco. Data de estreia: 5 de abril de 2019.

Doutor Sono


Imagem de O iluminado, de 1980



Lançado em 2013, a sequência de O Iluminado trará Danny Torrance já adulto e ainda atormentado pelos eventos do Hotel Overlook. Ewan McGregor está no elenco do filme que estreia no dia 24 de janeiro de 2020.


Outsider


Sim! O mais novo romance de Stephen King já foi confirmado para uma adaptação. A história gira em torno de um assassinato cruel no Oregon, tendo como principal suspeito o treinador da Liga Infantil de Baseball. Conforme a investigação vai prosseguindo, mais a policial tem certeza que está no caminho errado.
A
 produção ficará a cargo da Media Rights Capital (responsável por House of Cards). Richard Price (O preço de um resgate) está cotado para cuidar do roteiro com Jack Bender e Marty Bowem como produtores, assim como o próprio King como produtor-executivo. A série ainda não tem previsão de estreia.


Por João Marcos


Leia Mais

Compartilhe Tweet Pine

0 Comentários